Header Ads

ad

Empresa: Redenção

Fundada em 1936 por José Guilherme da Costa, a Empresa Redenção é uma das mais antigas empresas de transporte em atividade no estado. Pioneira no ramo de transportes coletivos, a Redenção é sem dúvida parte da história cearense, testemunha de quem participou da evolução dos transportes no estado.

Entre 1934 e 1936, o transporte de passageiros entre Fortaleza, Redenção e  Acarape  era realizado através de um caminhão misto que pertencia ao pioneiro Sr. Odorico Pessoa Monte.

A trajetória de sucesso da Empresa Redenção inicia-se no final de 1936, quando José Guilherme da Costa adquiriu o direito de transportar passageiros entre os municípios de Fortaleza e Redenção num caminhão misto de três cabines. O tempo era de pioneirismo, pois as carroçáveis representavam as únicas pistas do sistema rodoviário e, nessas condições, operar no transporte de passageiros significava uma grande aventura em termos de investimento.

Dois anos mais tarde, em 1936, José Guilherme adquire aquele que é considerado o primeiro ônibus rodoviário do Ceará, um Ford V-8 com 85cv, chassi próprio para ônibus, capacidade para 40 passageiros e rádio. Esse ônibus fazia a linha Fortaleza-Redenção diariamente com um horário, considerado também pioneiro na operação de uma linha regular de Fortaleza para o interior do estado. O tempo de duração da viagem era de três horas e trafegava somente no verão devido às cheias do Rio Guaiuba que impediam a passagem de veículos durante o inverno.

Sr. José Guilherme e seu ônibus Ford, Pacatuba 1937.
Após o inverno, o Sr. José Guilherme providenciava, por conta própria, reparos na estrada, para logo após reiniciar a linha Redenção-Fortaleza. Durante 11 anos, o Sr. José Guilherme, atuou como proprietário, motorista e cobrador da linha Redenção-Fortaleza, e era tão pontual que os moradores de Mondubim acertavam seus relógios pela passagem do ônibus de Redenção.
Ônibus a gasogênio (Empresa Garcia)

Nos anos de 1944 a 1946, época da Segunda Guerra Mundial, com o grande racionamento de combustível, José Guilherme se viu obrigado a colocar Gasogênio no seu Ford V-8, isto é, um aparelho que produzia gás combustível do carvão, adaptado na parte traseira do ônibus. Assim, rompeu mais dois anos, com muito sacrifício e muita luta não interrompendo os horários da linha Redenção - Fortaleza.

Em 1948, a Empresa obtém o prolongamento da linha Fortaleza/Redenção até Baturité e o irmão do fundador, Ludgero Guilherme da Costa, o “Lulu”, entra como aliado para explorar o novo trecho. Com a parceria, a empresa inicia uma fase de expansão. Mais tarde, em 1955, registram a firma com o nome fantasia Redenção.
 Veículos da marca Ford com caroceria artesanal, 1951 e 1954 respectivamente.
 
Em 1957, com nove veículos, a empresa explorava cinco linhas: Redenção, Baturité, Quixadá, Acaraú e Santana do Acaraú. No mesmo ano inaugura a linha Fortaleza - Boa Viagem, servida pela empresa semanalmente. Ainda em 1957, adquire o mais luxuoso e confortável ônibus da época, um possante FNM “Fenemê”, carroceria CAIO com capacidade para 50 passageiros.
Ônibus "Papa-filas"
O “Papa-Filas” chegou as estradas cearenses através da Redenção no ano de 1960, quando o mesmo entrou em operação na linha Fortaleza - Baturité. O veículo da marca Scania-Vabis podia transportar de uma vez, mais de uma centena de passageiros, 78 sentados e 40 em pé. Custou cerca de oito milhões de cruzeiros, porém o veículo, colocado em caráter experimental, não foi totalmente aprovado devido ao estado precário em que se encontra a rodovia.
Ônibus carroceria Grassi Mercedes-Benz LP-321
Ciferal Líder na Rodoviária de Fortaleza
Formalizado a criação do consórcio em 1966, passou a operar as linhas concedidas às duas firmas, com o nome de Empresa Redenção. Dessa forma, a Redenção se expandiu rapidamente servindo a diversas cidades do interior cearense, constituindo-se na maior Empresa Rodoviária do Estado. Ludgero e José Guilherme Costa conseguiram isso graças ao esforço próprio e a visão administrativa. Na década de 70 a Empresa Redenção operava em mais de 60 municípios cearenses, estendendo uma de suas linhas até Picos, no Estado do Piauí.

Veículos adquiridos em 1978
No ano de 1978, adiciona à sua frota 25 ônibus novos ônibus de chassis Mercedes-Benz. Destes, 4 modelos plataforma O355, 6 monoblocos O355, 6 chassis OH, 8 chassis LPO e 1 chassi OF. Todos eles com as melhores carrocerias fabricadas no Brasil. Continuando sua trajetória de crescimento, a Redenção recebeu concessões para atuar em novas linhas e posteriormente ganhou outras através de licitações (instituídas a partir da Constituição de 1988).
Marcopolo III e Monobloco O364. Ambos na Avenida Beira-Mar, Fortaleza.

Durante cinquenta anos, José Guilherme da Costa esteve à frente da presidência da Redenção, quando veio a falecer em 1986, a Empresa passou as mãos de José Andrade, um de seus filhos. Com o fim do “Consórcio Empresa Redenção”, nasce a Empresa Redentora em 1987, graças a iniciativa do consorciado do empresário Ludgero Guilherme. O tradicional logotipo em forma de “R” passa a ser utilizado apenas nos carros da Redentora.
Paradiso 1400 Scania K-112TL
A Redenção deixa de operar no maciço de Baturité, onde se localiza Redenção, linha originária da empresa, continuando a servir outros municípios do Estado como Acaraú, Jericocoara, Senador Pompeu e Santana do Acaraú. Redenção e Redentora passam a compartilhar as mesmas linhas até 1993, quando ocorre a divisão. Ludgero Guilherme Costa veio a falecer no ano de 1988.
Paradiso 1400 e Diplomata 350 da Empresa Redentora
Ainda em 1988, a Prefeitura de Redenção homenageia os irmãos com a nomeação de ruas daquele município, uma com o nome de Ludgero Guilherme da Costa “Lulu”, e outra como José Guilherme da Costa, em Acarape. Mais tarde, em 1993, a Prefeitura de Fortaleza também nomeia uma rua da cidade com o nome do empresário Ludgero Guilherme Costa.
Viaggio 1100 Volvo B10M 1990
El Buss 340 da Empresa Redentora
Sob direção dos descendentes, Redenção e Redentora traçam caminhos diferentes. Mais tarde , a Redentora que também se tornou uma das maiores operadoras de transporte no Estado, veio transferir para a São Geraldo em 1998, as linhas interestaduais para Picos (PI). Em 2001, transfere as linhas de Fortaleza para Arneiroz, Baixio, Boa Viagem, Marrecas, Mombaça, Parambu, Pedra Branca e Tauá para a Expresso Asa Branca. As linhas intermunicipais do Maciço de Baturité e as metropolitanas foram transferidas para a Fretcar. A Redentora encerrou suas atividades em 2004.


Lançamento Junho/99
Os primeiros ônibus de dois andares do Ceará foram adquiridos pela Redenção no ano de 1999. Os veículos modelo Paradiso GV1800 eram os mais sofisticados da época, a bordo vários itens de conforto como ar condicionado, barzinho, videocassete, telefone interno, toillet, monitoramento com circuito interno, cafeteira e forno elétrico. A apresentação do “Double-Decker” aconteceu durante um passeio do Parque do Cocó ao Beach Park, com coquetel a bordo. Com a chegada desses ônibus, a empresa adotou uma nova pintura e logomarca.

Paradiso GV1800 DD Mercedes-Benz O-400RSD
Em outubro de 2003, o empresário José Andrade Guilherme recebeu a medalha JK outorgada ao seu pai, José Guilherme da Costa. A condecoração é uma homenagem da Confederação Nacional dos Transportes a este que foi um dos pioneiros do transporte rodoviário.

Em 2004, a Redenção adquire um “ônibus-jardineira” adaptado para percorrer o trecho entre Gijoca e Jericoacoara pelas dunas. O caminhão Mercedes 1720, transformou-se num ônibus depois da adaptação feita numa empresa especializada. Mais confortável, o ônibus reduziu o tempo de viagem para 30 minutos. O veículo possui bancos em fibra de vidro, capacidade para 50 passageiros, sistema de som, além de degrau automatizado que facilita a subida e descida dos passageiros.

Paradiso G6 1350 na garagem de Fortaleza
Em 2005, a Redenção adota uma identidade visual mais moderna. Atualmente conta com uma das frotas mais novas da cidade, todos os seus veículos são equipados com ar condicionado e vários itens de conforto, sendo aplicáveis também ao fretamento de curta ou longa distância.
Paradiso G6 1350 O-500RSD 2008
Ao longo de quase 75 anos de existência, a Redenção escreveu uma importante página na história do transporte coletivo de passageiros no Ceará, desbravando o sertão cearense e colaborando com o desenvolvimento de muitos municípios, lembrada com muito carinho com aqueles que outrora cruzou as estradas cearenses a bordo de um Redenção, e que ainda hoje continua prestando bons serviços aos seus clientes.

28 comentários:

  1. Sensacional. Sempre passei ali em frente a garagem da Redenção mas nunca ia poder imaginar o TAMANHO e o SIGNIFICADO para a história do nosso estado que essa empresa tem. Fabuloso!

    ResponderExcluir
  2. maravilhoso, a redençao é uma empresa que com certeza faz parte da nossa historia , ,porque a redençao e mais do que uma empresa ,ela é uma familia, e por isso é que eu sou fã de carteirinha da redençao!parabens redençao !e que essa trajetória de sucesso continue.
    . lucas rodrigues da rocha .

    ResponderExcluir
  3. Redenção..Uma das poucas que admiro.

    ResponderExcluir
  4. É meus amigos vocês estão vendo a trajetória de uma empresa pioneira no nosso estado em transporte de passageiros. Eu tenho muito orgulho de fazer parte dessa trajetória de sucesso, pois sou funcionário dela a 12 anos onde considero a melhor empresa de se trabalhar de todo o Brasil. A REDENÇÃO é uma das poucas empresas que o funcionário quando tem algum problema temos a liberdade de falar com as patroas, que nos recebem no mesmo instante.

    ResponderExcluir
  5. Nosso colega Lucas Rodrigues nos deseja que continuemos essa trajetória, mais infelizmente nosso governador um tal de CID está fazendo de tudo para que essa trajetória, essa história de sucesso que vem a decádas abrindo estradas, transportando pessoas de sucesso se acabe.Essa licitação feita pelo governo vêio a beneficiar poucas empresas onde deixou muitos pais de familia sem emprego. Mais o governador disse em entrevista que ninguem ia ficar desempregado. Tem um ditádo que diz: QUEM FAZ AQUI, AQUI PAGA. Esse governador ... vai ser desmascarado antes de terminar o outro mandato. Quando falo nesse elemento fico com nojo.
    ABRAÇOS!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pura verdd meu parceiro é uma empresa de respeito mt família e sempre atendeu seus usuários com responsabilidade (Nailson- ex cobrador )

      Excluir
    2. Tive o prazer de trabalhar nela saí e retornei graças a Deus e as mnhs patroas pl oportunidade! !fica o meu repúdio a esses políticos irresponsáveis do Ceará .

      Excluir
  6. LAMENTO O FIM DOS SEVIÇOS PRESTADOS PELA EMPRESA REDENÇÃO, NO CEARA A PARTIR DE 113/01/2011.

    ResponderExcluir
  7. ISSO É UMA VERGONHA PRO ESTADO DO CEARÁ.

    ResponderExcluir
  8. sou bisneto do fundador e adorei saber que ele foi grande empreendedor! na sua época e que a empresa atua até hoje no mercado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm sou bisneto , e o mais velho e orgulho de ter feito história no ceara e ainda ter momentos junto a ele , apesar de ser muito pequeno mas ainda lembro de momentos com ele.

      Excluir
  9. O grupo está de parabens! Simplesmente está sensacional a matéria. É de sites como esse que precisamos para conhecermos a historia de empresas que fizeram historia em nosso estado. Nasci e crescí vendo a redenção, uma otima empresa que deixou boas lembranças. Hoje trabalho com pacotes de turismo que é o segmento que a empresa continua atuando com parcerias, fiquei sabendo que a partir de 1º de setembro cai a autorização que a empresa possui para vender pacotes no box da rodoviaria, sendo assim obrigada a encerra suas atividades na rodoviaria de Fortaleza. Então, quem assumirá o box? afinal, sabemos que hoje o box é ultilizado em parceria com a transbrasil.

    ResponderExcluir
  10. Andei num ônibus dela só duas vezes,foi em 1998 indo e voltando de um passeio no balneário das Andréias em Pacatuba,era o dia do meu aniversário de 13 anos.Nessa época eu já era busólogo.

    ResponderExcluir
  11. Lembro Quando a empresa era montese Alan Kardec x Joao Firmino....

    ResponderExcluir
  12. FIZ PARTE DO QUADRO FUNCIONAL DA REDENÇÃO TRANSPORTE E TURISMO NUM PERIODO DE 12 ANOS E POSSO DIZER COM TODO ORGULHO, DEVO TODO O CONHECIMENTO ADQUIRIDO GRAÇAS A OPORTUNIDADE QUE ME FOI DADA PELAS MINHAS DUAS PATROAS, QUE ME DERAM NO ANO 1999 A OPORTUNIDADE DE FAZER PARTE DO SEU QUADRO DE COLABORADORES, QUE INFELIZMENTE POR MOTIVO DE REDUÇÃO DO QUADRO FUNCIONAL FUI DESLIGADO EM 09/2011, FICO MUITO FELIZ POR TER FEITO PARTE DESSA HISTORIA DE SUCESSO, MUITO OBRIGADO MEU DEUS E EMPRESA REDENÇÃO, SÓ TENHO A AGRADECER PELO TEMPO QUE FUI COLABORADOR DESSA CONCEITUADA EMPRESA DE TRANSPORTE E TURISMO NO BRASIL.

    ResponderExcluir
  13. Uma das melhores empresas do Ceará

    ResponderExcluir
  14. Depois que ela saiu por ter perdido a licitação ainda consegui viajar nela a serviço da fretcar na linha fortaleza×santana via itapipoca

    ResponderExcluir
  15. Esses bandidos acabaram com as empressas que tanto sofreram sem estradas queria ver aguanamerda rodar na época que era só lema areia E buraco rodar no asfalto e mole

    ResponderExcluir
  16. Sou a neta mais velha do senhor José Guilherme da Costa também fui criada por ele,meu avô era um homem bom,honesto e justo por isso é grande a minha admiração por ele.meu filho Márcio é o seu primeiro bisneto e ele ainda teve bons momentos com ele.Saudades desse grande homem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Unknown
      Como neta do Sr. josé Guilherme, por favor, procure saber com familiares mais antigos como se deu o inicio da Empresa. Salvo engano, o transporte de passageiros Acarape-Fortaleza-Acarape foi fomentado inicialmente, pelo Sr. Odorico Monte, quem, primeiramente, usou um caminhão misto para o citado transporte. Isto ocorreu por tempo relativamente curto (salvo engano: 1934-1936), quando, então, o Sr. J. Guilherme assumiu a linha e implementou os primeiros ônibus da grande Empresa Redenção. Att.: Unknown 2.

      Excluir
  17. Prezados Senhores,

    Li acerca do histórico da Empresa Redenção e achei bastante interessante e oportuno, inclusive, para resgatar pessoas e acontecimentos, coisas que as novas gerações desconhecem e até desprezam. Entretanto, tenho uma ressalva, ou melhor, um dado que precisa e deve ser modificado neste importante histórico para que ele fique completo e real. Na verdade, quem iniciou o transporte de passageiros Acarape-Fortaleza-Acarape utilizando um caminhão misto foi o Sr. Odorico Pessoa Monte. Não sei exatamente o ano, mas, acho que foi mesmo no período 1934-1936, apresentado neste histórico. A partir daí (final de 36, inicio de 1937?), o Sr. J. Guilherme assumiu a linha e adquiriu os primeiros ônibus convencionais, culminando na grande Empresa Redenção. Assim, solicitamos, respeitosamente, este reparo. Atenciosamente...

    queirozmonte@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  18. Muito boa a matéria sobre a Empresa Redenção e seu importante papel na história do transporte coletivo no Estado do Ceará. De fato, a origem do transporte de passageiros entre o município de Redenção e a capital Fortaleza teve início com um caminhão tipo MISTO, ou seja, havia a boleia para os passageiros, geralmente 3 filheiras de bancos e a carroceria onde eram levadas as bagagens. Esse veículo foi adquirido e depois adaptado por Odorico Pessoa Monte para a finalidade a que se destinava, transporte de passageiros e bagagens e posso atestar a veracidade das palavras de Francisco Monte, pois a compra do mesmo foi financiada por meu avô Antônio Vieira da Costa, à época, destacado comerciante de Acarape e grande amigo de Odorico. Posteriormente, Odorico transferiu o negócio para José Guilherme da Costa dando origem à Empresa Redenção, orgulho do Ceará. Interessante a participação indireta de minha família nesse negócio, pois quando Ludgero Guilherme da Costa, o "Lulu" que sonhava ser piloto de avião, foi adquirir seu primeiro caminhão, teve na pessoa de meu outro avô José Costa Ribeiro, produtor da Aguardente Madeira de Lei, o avalista de que precisava para concretizar o negócio. É a história!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecemos o Sergio Vieira que além de dar seu valioso testemunho, revelou outros detalhes sobre o caso em questão e enriqueceu a historia fornecendo outros interessantes detalhes. Apesar de na época sermos bem jovens, mas conheci seus avós Antonio Vieira e José Costa, homens de posse e também de moral.

      Excluir
  19. Quero destacar e agradecer a oportuna ação da FORTALBUS (Empresa: Redenção) ao acrescentar a informação relativa ao "caminhão misto" no transporte de cargas e passageiros no eixo Acarape-Fortaleza-Acarape, reconhecendo o pioneirismo de Odorico P. Monte. Mostrou seriedade e reconhecimento.
    Atenciosamente.

    ResponderExcluir
  20. Tem que voltar e a ter linhas no ceará de novo continua sendo a pioneira .

    ResponderExcluir
  21. meu pai trabalhou muito tempo nas duas empresas, redenção e redentora só na empresa redenção ele trabalhou 2 vezes. Na empresa redenção ele trabalhou no ano de 1982 a 87 e na empresa redentora de 1997 a 2002. Ele era conhecido por Chagas. Ele sempre elogiava as duas empresas.

    ResponderExcluir
  22. Meu pai trabalhou muito tempo nas duas empresas redenção e redentora. Na empresa redenção ele trabalhou no ano de 1982 a 1987.E na empresa redentora de 1997 a 2002. Ele era conhecido por Chagas.

    ResponderExcluir

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.