sábado, 31 de março de 2012

MA: Fluxo de passageiros em terminal rodoviário de São Luís caiu 50% em cinco anos

O fluxo de passageiros no Terminal Rodoviário de São Luís tem diminuído 10% por ano nos últimos cinco anos. Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros e Fretamento do Estado do Maranhão (Setrefma), hoje a rodoviária da capital perdeu 50% de seu público por causa da concorrência desleal do transporte alternativo irregular, que movimenta os terminais improvisados na rotatória do Km 0 da BR-135 e em frente à rodoviária municipal. 

"O sistema de transporte clandestino é predador e tão oportunista que não atrapalha apenas o sistema convencional [rodoviário], mas também o sistema de tráfego em geral, pois a maioria dessas conduções não respeita as normas de trânsito, pondo em risco a vida de passageiros", afirmou Anderson Mateus Picoli, diretor rodoviário do Setrefma. 

De acordo com o diretor, não são somente as empresas que têm prejuízos; os usuários do transporte clandestino também podem sofrer as consequências dessa escolha. "Muitas pessoas acham que usar esse tipo de transporte não atrapalha. Além dos veículos não serem regulamentados por órgão competente, eles causaram o fim de horários de viagens em ônibus de empresas rodoviárias que geralmente só tinham um ou dois passageiros", ressaltou. 

Disciplinamento 
Os motoristas do transporte clandestino atuam sem nenhum disciplinamento. Para Anderson Picoli, os agentes de fiscalização deveriam ser mais atuantes, tanto no que se refere à fiscalização, quanto na regulamentação do transporte alternativo na capital, pois sem isso não há recolhimento de impostos, logo o dinheiro que deixa de ser arrecadado não se transforma em serviços e benfeitorias para a população. 

As vendas das empresas que fazem o transporte rodoviário só conseguem ser maior durante o Carnaval, nos feriados prolongados da Semana Santa e da Semana da Pátria, e no período das festas de fim de ano e das férias escolares. Quando há concurso em determinada localidade, a procura por passagens também aumenta. "Às vezes, é preciso colocar carros extras para que possamos dar conta da demanda no terminal", disse Silvana Trindade, encarregada de guichê na rodoviária. 

Para o auxiliar do setor de tráfego da empresa Cisne Branco, David Fernando Rocha, o problema só não é maior porque existem pessoas que preferem a segurança das empresas que operam na rodoviária aos táxis-lotação ou as vans. "Os ônibus regularizados oferecem ao passageiro muito mais conforto, comodidade e segurança. Se por acaso quebrar um veículo na estrada, nós disponibilizamos todo um suporte técnico, o que não é oferecido no transporte irregular", afirmou.
Fonte: Tv Mirante

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2014. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados