segunda-feira, 21 de abril de 2014

Citimax: O último Ciferal de Fortaleza

Por Fortalbus
Durante mais de 40 anos, a Ciferal produziu alguns dos melhores ônibus que já rodaram em nossas ruas e estradas, tornando-se conhecida pelo seu pioneirismo na fabricação de carrocerias de ônibus em Duralumínio.

Após o auge das carrocerias na década de 1970, a Ciferal passou por uma crise financeira, chegando a tornar-se estatal da década seguinte. Recuperada, a encarroçadora voltou a produzir ônibus urbano como principal foco, tornando-se especialista em construir produtos de qualidade e funcionalidade para o desenvolvimento dos transportes coletivos urbanos.

No começo da década de 1990, a Ciferal se muda para Xerém/RJ, onde foi privatizada ao ser comprada por empresários de ônibus que eram seus antigos clientes. Anos mais tarde, em 1999, a Marcopolo subscreve 50% de participação no capital da Ciferal, é quando começa a ser produzido o modelo urbano Turquesa, modelo similar ao Torino, principal produto Marcopolo na categoria.

Mas foi em 2003, após a descontinuidade da produção do Turquesa, que a Ciferal começava a produzir aquele que seria o último ônibus a ostentar o nome desta tradicional fábrica de ônibus.

O Citmax, lançado naquele ano, surgiu com a proposta de ser um veículo leve e de baixo custo operacional para os frotistas, especialmente desenvolvido para o transporte coletivo urbano. Uma das principais vantagens do Citmax em relação aos modelos comercializados no mercado nacional era sua economia de combustível.

Nos testes aerodinâmicos, o modelo comprovou seu menor custo operacional em aplicação urbana registrando consumo de combustível 24% menor que a média dos demais veículos similares.

Sua ampla grade dianteira, com maior área de ventilação, aumentava a durabilidade do motor e do câmbio, com melhor performance, mesmo em regiões de temperatura elevada. A abertura da grade dianteira, com sistema pantográfico, permitia fácil acesso ao conjunto mecânico e rápida manutenção.

Montado apenas sobre chassis de motorização dianteira, Mercedes-Benz ou Volkswagen, o veículo garantia economia e rentabilidade para as empresas, revelando-se um produto de bom desempenho na cidade.

Foi também em 2003, que a unidade Ciferal tornou-se um centro exclusivo de produção de veículos para o transporte coletivo de passageiros em centros urbanos. Dois anos antes, em 2001, a Ciferal havia sido integralmente adquirida pela Marcopolo.

Na carona do sucesso, em julho de 2004, a Ciferal lançava também o seu último microônibus, o Minimax, com a mesma identidade do urbano já em linha de produção. Pequeno e ágil, o micro tinha um preço altamente competitivo, podendo ser encarroçado sobre os chassis Mercedes-Benz, Volkswagen e Agrale.

O Citmax fez bastante sucesso nos grandes centros urbano, inclusive na capital cearense, onde empresas do segmento urbano e metropolitano incorporaram o robusto modelo em suas frotas.

No Ceará, tivemos unidades com chassis Mercedes-Benz OF-1417/8 e OF-1721/2, além do Volkswagen 17-210OD/EOD. Já o Minimax, apenas com Mercedes-Benz LO-915, adquirido por empresas do sistema urbano e metropolitano.

Apenas nove meses após seu lançamento foram comercializados 1.200 unidades do Citmax em todo o Brasil. Na época, o diretor de Operação da empresa Santo Antônio Ltda., André Luís Eskinazi, destacou a rentabilidade que obteve com o Citmax. "Adquiri cinco unidades por um excelente custo e não tenho gastos adicionais com esses veículos por serem mais leves e de fácil manutenção".

Quando lançado a família de chassis Euro 3 da Mercedes-Benz em 2004, o pará-choque dianteiro recebeu uma grade maior, diferenciando assim dos antecessores OF-1417 e OF-1721. A mudança não se aplicou aos chassis Volkswagen.

Em 2005, a Marcopolo redesenhava o modelo da sua convencional poltrona de fibra, muito comum na cidade de Fortaleza. Com um desenho totalmente novo, as poltronas também foram aplicáveis ao Citmax.

Mas foi em 2009 que a Marcopolo aposentou de vez o nome Ciferal de seus produtos, descontinuando a produção do Citmax, o último modelo da marca. Em 2007, a Marcopolo havia lançado a atual geração do Torino, modelo com a missão de continuar sendo o urbano mais vendido da história.

Atualmente, a unidade Ciferal no estado do Rio de Janeiro fabrica carrocerias Marcopolo com foco no desenvolvimento de efetivas soluções para o segmento de transporte urbano, mantendo o forte nome Ciferal, no mercado desde 1955.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados