sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Fortaleza: Reforma no terminal do Antônio Bezerra deixa passageiros confusos

Usuários do terminal do Antônio Bezerra reclamam da falta de sinalização e acessibilidade do equipamento inaugurado há 23 dias pela Prefeitura de Fortaleza. A nova organização do local, com duas plataformas separadas por um túnel, causa confusão entre os passageiros, tornando difícil o acesso ao ônibus desejado. A ausência de placas explicativas e a sensação de insegurança, principalmente à noite, preocupa a população.

“Antes da reforma, era mais simples pegar o ônibus aqui, bastava atravessar a rua e ir para o outro lado da plataforma”, conta o caixa de supermercado Maílson da Silva, 25. Ele avalia o novo esquema como “bagunçado” e diz que muita gente ainda pede informação aos fiscais da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Um funcionário, dentro do túnel, informa e tira dúvidas dos que não sabem para onde ir. No local, duas folhas de papel indicam os números das linhas e seus respectivos lados. A sinalização não só é confusa, como insuficiente. Na rampa de acesso ao túnel, cinco lâmpadas estão quebradas e com fiação exposta.

Do outro lado do túnel, vinha subindo a rampa a governanta Maria Antônia, 54. Ofegante, ela reclamava da dificuldade e do percurso até achar o local de embarque. “Toda essa distância é muito cansativa pra gente. Tinha uma senhora passando mal lá embaixo”. Comerciantes dos 23 boxes de alimentação também fazem queixas sobre a nova organização do terminal. Após a inauguração, eles foram transferidos para estruturas provisórias no lado direito, que, segundo os proprietários, tem pouca visibilidade e traz prejuízos. Alguns vendedores afirmaram que a Prefeitura deu um prazo de seis meses para entregar os boxes definitivos na parte frontal do terminal. 

Em nota, a Etufor informou que, somente no terminal do Antônio Bezerra, 50 colaboradores, divididos em quatro turnos, trabalham para orientar a população. O órgão disse ainda que os pontos de paradas estão sinalizados e que algumas sinalizações funcionam de forma provisória para não deixar o passageiro sem informação, mas que a sinalização definitiva está sendo providenciada. 

Sobre a segurança do local, a pasta reforça que o terminal conta com 15 guardas municipais diariamente e que os túneis são locais seguros, bem iluminados e com entrada e saída que dificulta a fuga dos assaltantes, classificando os relatos de assalto como “problemas de segurança pública”. 

Saiba mais 
A divisão das linhas de ônibus é feita por plataforma. Na plataforma A, ficam as linhas que vão para Bezerra de Menezes e Papicu. Na B, os usuários embarcam em ônibus de acesso aos bairros Siqueira, Messejana e Praia de Iracema. 

Segundo a Prefeitura, a obra integra o Programa de Transporte Urbano de Fortaleza (Transfor) e terá sequência com a reconstrução da área antiga do terminal, cuja entrega está prevista para agosto. Com a requalificação, orçada em R$ 17 milhões, o espaço passará de 12 mil m² para 29 mil m². 

A nova obra conta com piso industrial, cobertura metálica, pavimento rígido para circulação de ônibus, prédio para a administração, plataformas de embarque e desembarque, posto de controle, auditório e rampas. Conforme a Etufor, diariamente, cerca de 200 mil pessoas circulam no terminal. Ao todo, são 46 linhas funcionando no período diurno.
Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados