sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Fortaleza: Usuário ainda precisará conviver com velhos problemas

Durante o período de testes serão avaliadas as vantagens de economia de combustível e a redução da emissão de poluentes. Ônibus articulado será testado na próxima semana 

A cor verde chama atenção e as inscrições “Elétrico + 100% biodiesel” intrigam quem vê o Hibribus passeando pelas ruas da Capital. O coletivo exibe modelo diferenciado, além de estrutura operacional que reduz a emissão de poluentes sonoros e do ar. Fizemos o percurso na linha 075-Campus do Pici/Unifor e constatou que o usuário, apesar de aprovar a inovação, ainda precisa conviver com velhos problemas como lotação e trânsito lento. 

A ausência do solavanco durante a partida é a mudança mais perceptível. O natural barulho emitido também não é percebido. Não tem ar condicionado e o modelo das janelas, adequado à cidade de Curitiba (de onde veio o veículo), não permite que o vento cearense consiga chegar aos passageiros. São nove cadeiras a menos do que o ônibus comum (que tem 44) e a entrada acontece pela porta dianteira, com o cobrador sentado próximo ao motorista. 

Para o motorista Valdeci Ribeiro, não precisar de muito esforço para dirigir é o maior benefício. Já para o cobrador Emanoel Bezerra dos Santos, os passageiros ainda precisam se acostumar com a nova logística. A circulação do novo modelo de coletivo, porém, é apenas um teste para a possível compra de outros. O interesse da Prefeitura se baseia na combinação de motores a diesel e elétrico que garante redução de 35% do combustível, além de menor emissão de gás carbônico. 

A escolha da linha que interliga dois centros universitários não foi à toa. De acordo com o chefe de planejamento da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Miguel Guimarães, além de passar por vias congestionadas, que possuem muitos pontos de parada e registra altos índices de poluição, o percurso é feito geralmente por jovens mais conscientes com a questão da sustentabilidade. “Será um mês de análise dessa mobilidade verde, que polui menos e dá mais conforto”, afirmou. 

Miguel explica que foram solicitados à empresa fabricante veículos que se encaixassem mais no conceito dos corredores de transporte da Copa, os conhecidos BRT (Bus Rapid Transit). “Vamos testar a real economia de combustível e poluição, fazer planilhas comparativas e, claro, ouvir o que a sociedade tem a dizer”, detalhou. Detalhes como as janelas pequenas e o cobrador na dianteira não deverão existir nos dois Hibribus que, possivelmente, deverão ser comprados pela Etufor, conforme Miguel. 

Na próxima semana entrará em teste também o coletivo do tipo articulado, que complementará o transporte nos corredores BRT. “Neles, serão avaliados o piso mais baixo, o tamanho maior, a dinâmica da porta do lado esquerdo e o raio de giro, já que temos ruas estreitas”, disse Miguel. No caso do Hibribus o teste será feito por mais uma empresa, já para os articulados, três empresas se interessaram em fazer o teste.
Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados