sábado, 22 de março de 2014

Fortaleza: Operação nos coletivos reduz assaltos em 36%

Criada com o intuito de coibir assaltos e ataques a ônibus e vans de Fortaleza, a Operação Coletivo Seguro, da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), completou um mês de vigência. Embora desacreditada pela população, dados referentes à fase inicial de trabalhos mostram que a iniciativa está obtendo resultados positivos. Conforme o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), no primeiro mês da ação, o número de assaltos registrados nos coletivos caiu quase 36% em relação ao mês anterior.

Em fevereiro, foram contabilizadas 146 ocorrências em ônibus, micro-ônibus e topiques, enquanto, em janeiro, a quantidade de crimes chegou a 228. Assim, o novo índice é o menor em 14 meses, diz Dimas Barreira, presidente do Sindiônibus.

Segundo ele, a entidade constatou melhorias até mesmo em áreas críticas, onde os assaltos aconteciam mais de uma vez, todos os dias. Barreira atribuiu a redução ao trabalho. "A atuação de maneira mais estratégica, mais estruturada, com blitze e abordagens dos ônibus, fez a diferença", acredita.

Ao todo, 55 linhas foram contempladas pela Operação Coletivo Seguro, sendo 40 de ônibus e 15 de vans. Lançada em meio aos episódios de incêndios em coletivos ocorridos em fevereiro na Capital, a ação também se voltou para a contenção dos crimes. Foram sete ataques em 48 horas, alguns parciais, outros que causaram destruição completa dos veículos. O último ocorreu no dia 18 do mês passado. 

Apesar dos bons resultados aparentes, a operação não trouxe tranquilidade aos usuários de coletivos. Muitos relatam que os assaltos continuam frequentes. "A gente já entra no ônibus desconfiado", afirma a estudante Luana Almeida, que passa todos os dias pelo Terminal do Papicu. 

Motoristas e cobradores também dizem não ter notado os efeitos. "Os assaltos não param, principalmente em bairros críticos, como Praia do Futuro", diz o motorista Cláudio dos Santos. 

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário no Estado do Ceará (Sintro), Domingos Neto, a operação ainda não trouxe mudanças. "Na linha Conjunto Ceará-Aldeota, aumentou o número de ocorrências. Nas linhas Aguanambi I e II, foram nove assaltos de terça-feira para cá", avalia.
Com informações: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados