domingo, 9 de março de 2014

Fortaleza: Topiques passam a circular em ruas secundárias

Transporte público complementar na região da Barra do Ceará, Canindezinho e Bezerra de Menezes vai mudar para garantir maior circulação no interior dos bairros 

Entre as mudanças do Plano de Ações Imediatas em Transporte e Trânsito de Fortaleza (Paitt) está o redesenho da rede de transporte público complementar. A proposta da Prefeitura é que as topiques deixem de circular nos principais corredores de Fortaleza e atuem prioritariamente nas vias secundárias, fortalecendo a integração possibilitada pelo Bilhete Único. 

Segundo a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), três projetos-piloto serão implantados inicialmente: primeiro, na Barra do Ceará até 31 de maio; a região do Canindezinho até 30 de junho; e Bezerra de Menezes até o fim de agosto, junto com a implantação do Bus Rapid Transit (BRT) do Antônio Bezerra ao Centro. 

Para o prefeito Roberto Cláudio (Pros), o transporte complementar devia ser “alimentador dos polos de ônibus”, mas passou a concorrer porque não havia integração. “Você tem grande parte da população que mora nos bairros desassistida de qualquer transporte, enquanto essas vans podiam estar dentro dos bairros”. 

As primeiras linhas de transporte complementar a mudar serão as 711, que atua na Barra do Ceará, e 705, no Canindezinho. “Mas ainda não foram definidas com exatidão quais serão as rotas”, explica o secretário-executivo da SCSP e coordenador do Paitt, Luís Alberto Sabóia. 

Isso será debatido a partir de segunda-feira e pelos próximos 30 dias com Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus), Sindicato de Transporte Complementar de Fortaleza (Sindvans) e comunidades que serão atingidas inicialmente. Eventualmente, linhas de ônibus também poderão ter mudanças. 

Dessa forma, a Prefeitura espera capilarizar a rede, entrar nos bairros com as vans e aumentar a capacidade das linhas troncais. “As pessoas vão andar menos de casa até a parada de ônibus”, afirma o prefeito Roberto Cláudio. “Esperamos que o volume de passageiros de transporte público aumente e inverta a tendência de Fortaleza – nós transportamos, em números absolutos, o mesmo que há 20 anos”, estima Sabóia. 

De acordo com o secretário-executivo, mudou a lógica de competição entre ônibus e vans, que antes dividiam a mesma fatia de mercado. O processo de diálogo vinha sendo conduzido pela SCSP desde o fim do ano passado. “Houve um acordo operacional firmado entre Sindiônibus e Sindvans na semana passada. Vans terão 13% das receitas e 13% dos custos, ônibus terão 87% de cada”. A Etufor monitora a receita do sistema.
Com informações: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados