quarta-feira, 9 de abril de 2014

Função Motorista de ônibus - Parte 3

Por Rafael Fontenele
Dirigir de forma defensiva é prevenir-se contra o comportamento indevido de outros motoristas e suas condições adversas, planejando todas as ações possíveis com antecedência e de forma consciente, protegendo as vidas humanas e o próprio veículo. Por falar em vidas, deve-se ter atenção especial com idosos e portadores de qualquer tipo de deficiência, pois estes estão mais propícios a quedas dentro do veículo ou no momento de embarque e desembarque. 

Dia desses, estava aguardando o ônibus na Avenida Duque de Caxias (Centro de Fortaleza), a parada estava lotada, pois já passava das 18:00, horário que é comum a quantidade de pessoas aguardando o transporte coletivo ser bem maior. Dentre essas pessoas que estavam na parada havia um cadeirante, que aguardava o ônibus em direção ao Terminal de Antônio Bezerra, recordo que quatro ônibus pararam, embarcaram os passageiros e saíram sem embarcar o cadeirante. Apenas no quinto ônibus, o motorista parou junto ao meio fio, ligou as setas e foi calmamente realizar o embarque do cadeirante.

Apesar de certa dificuldade quanto a operação do equipamento, o mesmo conseguiu embarcá-lo e assim prosseguir viagem. Enquanto o embarque acontecia, o transito ficou congestionado, alguns motoristas de outros ônibus passaram e criticavam dizendo que aquela não era hora para embarcar cadeirante, além disso, alguns passageiros também se mostravam incomodados com a situação. E se fosse alguém da família deles que estivesse naquela condição? O comportamento seria o mesmo? Lembro que algumas pessoas deram parabéns ao motorista que agiu de forma correta e cidadã.

Sobre ser cidadão no transito, pode-se afirmar que é necessário o respeito aos direitos e deveres individuais de cada um, seja passageiro ou terceiro, já que cada um perante a lei tem direito a ser reconhecido e tratado com dignidade, sem preconceito de raça ou cor, com oportunidades iguais e dando assim, importância a coletividade.

Contudo é importante ao dirigir ter ações que tornem a convivência harmoniosa e tolerante aos demais indivíduos, dentre as ações destaco: Parar o ônibus próximo a calçada, evitar parar ao embarque e desembarque próximo a poças de lama ou locais que dificultem o embarque dos usuários, esperar o idoso embarcar e se acomodar de forma segura dentro do veículo, evitar manobras bruscas e zelar pela integridade dos usuários na via, sobretudo dos pedestres.

Outra atitude cidadã é evitar usar o acelerador como buzina, ou até mesmo evitar o uso da buzina sem necessidade, cito que na Empresa Vitória, há um motorista chamado Antônio Claudio, que está há 9 anos sem utilizar a buzina. Segundo o mesmo não é por causa da buzina que o transito irá fluir, sendo desnecessário assim fazer o “buzinaço”, pois se o transito está parado é porque algum problema a frente está acontecendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados