sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

40 anos de operações da linha entre Fortaleza X Belém

Por Fortalbus
Em 1976, a linha interestadual Fortaleza-Belém começou a ser explorada pelas empresas cearenses Ipu-Brasília, de propriedade de José Carlos Sobrinho, e Expresso Timbira, que tinha como dirigente Miguel de Azevedo.

Antes disso, em 1975, a Expresso Timbira e a Ipu Brasília venceram a concorrência aberta em âmbito nacional, pelo Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), órgão regulador na época, para a concessão da linha rodoviária Fortaleza-Belém-Fortaleza. A vitória teve maiores méritos e obteve maior repercussão, inclusive em outros Estados, pelo fato de terem participado ao lado da Ipu Brasília e Expresso Timbira, mais seis empresas do maior gabarito e expressão nacional, fato que colocou as duas empresas cearenses entre as mais modernas e bem aparelhadas do país.

A estrada que liga Fortaleza à Belém tem 1611 quilômetros de extensão. O superintendente da Expresso Timbira, Sr. Miguel Azevedo, adiantou que sua empresa colocou para iniciar na linha seis ônibus, em duas viagens diárias, tipo semi-leito, não sabendo nem sequer o preço da passagem que seria cobrado. O tempo gasto numa viagem Teresina-Belém era na época, aproximadamente o mesmo percurso Fortaleza-Teresina, ou seja, de 11 a 12 horas, informou.

No inicio das operações, os ônibus da linha Fortaleza-Belém não eram equipados com aparelhos sanitários, na época era proibidos pelo Departamento Nacional de Estradas de Rodagem. Mas, as empresas de ônibus vencedoras tinham que construir terminais e pontos de paradas na extensão da linha, para atendimento dos usuários.

Fortaleza x Belém com Mercedes-Benz
As duas empresas genuinamente cearenses, que iniciaram a condução dos passageiros na linha Fortaleza-Belém, utilizaram os modernos e confortáveis monoblocos O-355 da Mercedez-Benz, modelo exportação, adquiridos na Aguanambi Diesel. "Sob os auspícios 'da sua boa estrela em qualquer entrada', a Expresso Timbira e a Ipu Brasília estarão conduzindo passageiros entre Fortaleza e Belém", anunciava a revendedora Mercedes-Benz.

Para a garantia de total desempenho dos ônibus das duas empresas locais em suas operações na linha Fortaleza-Belém, a assistência técnica, em seus mínimos detalhes, ficou a cargo da Aguanambi Diesel (atual Ceará Diesel), e sua experimentada equipe técnica. Os cuidados de conservação e assistência incluía também a reposição de peças genuínas, com revisões permanentes das rodonaves cearenses após cada viagem de ida e volta a capital paraense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados