sábado, 31 de maio de 2014

Brasil: Barramar vai deixar de operar em Salvador

O secretário de Urbanismo e Transportes de Salvador (Semut), Fábio Mota, afirmou que a empresa de ônibus Barramar, do grupo Viação Senhor do Bonfim, vai deixar de operar na capital baiana no próximo domingo. De acordo com o secretário, a empresa sergipana alegou questões financeiras para sair do sistema de transporte urbano de Salvador. São 218 veículos operando 41 linhas na cidade, principalmente na Estação Pirajá.

Há um mês, segundo Fábio Mota, um dos proprietários da Barramar, Lauro Menezes, procurou-o a fim de informá-lo que a Barramar não tinha condições para manter ônibus rodando na cidade. Mota diz que, à época, pediu que o empresário aguardasse 30 dias, ´para que a prefeitura montasse um plano de remanejamento das linhas e de absorvição dos quase 1.300 funcionários da empresa. "Ele disse que estava sem dinheiro até para colocar diesel nos veículos", contou.

O diretor de operações da Barramar, José Carlos Alves, negou que a empresa de transporte vai parar de operar em Salvador. Segundo ele, a Barramar está saudável financeiramente. "Não conheço nenhuma informação desse tipo. Os salários estão em dia, o FGTS está em dia, temos veículos novos. Isso não existe, é boato", disse.

Licitação
Conforme o secretário Fábio Mota, o remanejamento destas linhas é provisório, até que a licitação do transporte de Salvador seja concluída. A previsão é que os envelopes com as propostas das empresas interessadas sejam abertos no dia 27 de junho. O estudo que permitiu as alterações momentâneas foi feito pela Superintendência de Trânsito e Transportes (Transalvador). 

Segundo Fabrizzio Muller, titular do órgão, vários critérios foram usados para definir quais empresas vão ficar com as linhas antes operadas pela Barramar: capacidade de frota, equilíbrio de índices como rentabilidade, quilômetros rodados, quantidade de passageiros, entre outros. 

Muller preferiu não revelar para quais empresas a operação das linhas será entregue, pois, segundo ele, o plano de remanejamento foi enviado ao Setps para avaliação e, por isso, "pode sofrer pequenos ajustes finos". 

Fonte ligada à Barramar, e que não quis se identificar, disse à reportagem que empresas como BTU e Rio Vermelho, donas da maioria dos ônibus que rodam na Estação Mussurunga, têm interesse nos itinerários operados pela Barramar. Muller não nega nem confirma. Tanto o superintendente quanto o secretário fizeram questão de "tranquilizar o trabalhador". 

Segundo eles, 100% da mao de obra será reaproveitada. No entanto, Mota disse que a prefeitura não pode garantir o pagamento do passivo trabalhista aos empregados. "Mas a empresa se comprometeu a pagar. Só que não podemos entrar na seara privada. Somos poder público", disse Mota.
Com informações: A Tarde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados