domingo, 25 de maio de 2014

Fortaleza: Sindiônibus e Cootraps assinam Termo de Cooperação Técnica Operacional

O Sindiônibus (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará) e a Cootraps (Cooperativa dos Transportadores Autônomos de Passageiros do Estado do Ceará) assinaram o Termo de Cooperação Técnica Operacional. O Termo de Cooperação Técnico Operacional tem a finalidade de efetivar a integração entre os sistemas de transporte coletivo urbano de Fortaleza nas modalidades regular e complementar.

Segundo o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira, “a assinatura do Termo de Cooperação Técnica Operacional entre o Sindiônibus e a Cootraps representa um grande avanço em termos de capacidade de planejamento para a cidade”.

“Hoje podemos começar a pensar em um sistema de maneira harmônica e poder privilegiar um planejamento que ajude a vencer as dificuldades que temos de mobilidade e de conseguir sempre oferecer um transporte que atenda a população com um menor custo possível. Isso não pode sair nunca do foco de quem estiver pensando no planejamento do sistema”, afirma Dimas Barreira.

O presidente ainda afirma que, para o Sindiônibus, a grande vantagem é a de pensar de maneira sustentável e perene, para que o sistema possa trabalhar pensando no seu foco de sustentação, que é justamente a população. “Esse é o grande avanço que estamos dando hoje: a harmonização do planejamento”.

A Cootraps – Cooperativa dos Transportadores Autônomos de Passageiros do Estado do Ceará – atua no chamado Sistema Público de Transporte Complementar de Fortaleza (SPTC-FOR). Criada em 1997, a Cootraps reúne cerca de 270 cooperados que atuam nas 16 linhas do Sistema na capital cearense.

Para Pádua Chaves, presidente da Cootraps, com a “aprovação desse termo, poderemos, efetivamente, participar dos novos moldes exigidos pela Prefeitura em parceria salutar com o Sindiônibus. É um grande momento. Estou muito otimista”.

Planejamento do sistema unificado
Segundo o gerente de planejamento do Sindiônibus, Sá Júnior, a ideia é através de estudos técnicos aumentar a capilaridade do sistema, ou seja, levar o complementar (vans), que é um veículo menor, para adentrar nas áreas que ainda não estão servidas e que precisam do transporte coletivo.

“Com a unificação, podemos fazer a racionalização e o sistema será enxergado como um todo. Os sistemas irão trabalhar juntos para aumentar a eficiência, a produtividade e reajustar a demanda. E quem ganha com isso é a população”, afirma.

O estudo já está sendo realizado através da Etufor, do Sindiônibus e de uma consultoria contratada pela Prefeitura. “Já fizemos no projeto piloto a pesquisa quantitativa e ainda falta fazer a qualitativa e testar como o usuário vai receber isso para partir para as alterações”, comenta Sá Júnior.

Em médio prazo, a ideia é que o sistema estrutural seja feito quase completamente pelos ônibus nas principais vias e corredores e na alimentação desse sistema os complementares e também alguns ônibus.

O gerente de planejamento do Sindiônibus ainda explica que, com o novo sistema, haverá uma racionalização de veículos nas vias de Fortaleza, como por exemplo, se o ônibus transporta o dobro do complementar, então para transportar a mesma demanda de um ônibus é preciso dois complementares. Se deixar somente os ônibus rodar nas artérias diminuirá a quantidade dos veículos, embora esteja aumentando essa capacidade.

“É uma diminuição proporcional de modo a aumentar o nível de conforto do usuário. Com isso, teremos uma possibilidade de aumentar a velocidade operacional do sistema, aumento a frequência, diminuindo a lotação dos veículos e diminuindo o tempo de viagem”.

O objetivo da área de planejamento do Sindiônibus é que se faça uma mudança na rede de modo a ter um sistema realmente alimentador, que é formado por alguns ônibus e também pelo complementar, e que haja o sistema estrutural formado exclusivamente por ônibus. 

Na prática, o Sistema de transporte complementar por vans estará fazendo parte do controle de operações do Sindiônibus que possui em sua estrutura 116 funcionários internos, 219 externos e 19 operadores de atendimento do Alô Sindiônibus.
Com informações: Sindiônibus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados