segunda-feira, 9 de junho de 2014

Contrastes marcam terminais rodoviários no Ceará

Em tempos de Copa do Mundo e chegada de turistas estrangeiros, os olhares estão direcionados para os aeroportos nas grandes cidades do Brasil. Entretanto, há fluxo de visitantes nas rodoviárias também. Na maioria das cidades do Interior, os terminais apresentam precariedades: falta de higiene, de segurança, banheiros imundos, iluminação deficiente e bancos sujos. Uma das exceções é a unidade desta cidade, na região Centro-Sul, com padrão de shopping center. 

A precariedade dos terminais rodoviários no Interior é observada por aqueles que diariamente usam o transporte coletivo. Os três maiores e mais movimentados da região Centro do Estado são o de Quixadá, Canindé e Quixeramobim. Os usuários reclamam mais da falta de limpeza dos banheiros. A situação mais grave é na rodoviária de Quixeramobim. Conforme os permissionários, está abandonada. Os principais problemas são goteiras e a precariedade dos banheiros públicos. 

O Terminal de Quixadá também apresenta banheiros sujos. Essa é a principal queixa dos passageiros. O tampão de concreto da caixa de escoamento do esgoto fica constantemente aberto, exalando um odor desagradável. Idosos e crianças correm o risco de caírem dentro dele. O Departamento Municipal de Bens e Serviços Públicos (Dmasp) informou já ter adotado providências para solucionar o problema. Firmou parceria com a empresa Expresso Guanabara para instalação de uma sala de atendimento com ambiente climatizado, televisores e mais conforto para os turistas. 

O prefeito de Quixeramobim, Cirilo Pimenta, informou ter conhecimento dos problemas e já há um projeto elaborado para construção de um novo terminal, aguardando a liberação de recursos para o início da obra. A empresa Guanabara, há alguns anos, implantou o seu próprio terminal, ao lado da rodovia CE-060, em frente a um restaurante. Os passageiros desembarcam ao ar livre, sob o sol e a chuva e em meio ao acesso livre de pessoas e de carros. 

O terminal rodoviário de Canindé, que também estava em péssimas condições até o fim do ano passado, passou por serviços de restauração. 

Permissionários e usuários aprovaram a reforma, mas a rodoviária é considerada pequena e mal localizada para o enorme fluxo de ônibus. Os usuários do Terminal Rodoviário de Juazeiro do Norte reclamam da falta de segurança, principalmente no período noturno, quando, não há, sequer, rondas policiais sendo realizadas no local. O equipamento, dispõe dos serviços de sete empresas que atuam no transporte intermunicipal e interestadual de passageiros. Funcionários de algumas destas empresas também se dizem temerosos devido à falta de segurança na rodoviária. 

Atualmente, apenas dois funcionários realizam os serviços de segurança em toda a área interna e externa do equipamento. "Não há quem dê conta de cuidar sozinho de uma rodoviária desse tamanho", diz o aposentado Cícero José do Nascimento, que, pelo menos duas vezes por semana, utiliza o equipamento para viajar a Brejo Santo, para visitar parentes. 

Um caixa 24 horas foi instalado há algumas semanas e usuários temem que, com o funcionamento do novo equipamento, poderá haver assaltos no local, principalmente no período noturno. "Segurança aqui é zero", afirma um funcionário de uma empresa de ônibus que prefere não ser identificado. A empresa responsável pela administração do terminal informou que irá abrir processo de seleção para contratação de novos seguranças. 

O Terminal Rodoviário de Crateús passou por melhorias recentes. O coordenador da rodoviária, João Bezerra de Souza, informou que foi reativada a cobrança de taxas de embarque. "Os recursos são investidos no serviço de limpeza e reparos", disse. A segurança é realizada pela Guarda Municipal, com apoio de policiais do Ronda do Quarteirão. 

Atualmente, funcionam cinco empresas de transporte de passageiros intermunicipais e interestaduais. O terminal também disponibiliza restaurantes, lanchonetes e acesso a Internet wi-fi. Conta também com rampa de acessibilidade, estacionamento gratuito e sinalização. Em baixa estação, o fluxo diário de passageiros chega até 350 pessoas. Em períodos de alta estação, nos meses de julho e dezembro, tem-se o dobro de usuários. 

Porcelanato 
No Interior do Ceará, a rodoviária de Iguatu é exceção. A unidade foi reconstruída e inaugurada há um ano. Apresenta piso de áreas externas em porcelanato e saguão em granito, com ampla área de embarque e desembarque, banheiros limpos, iluminação adequada e estrutura com excelente acabamento, além de jardins e fonte luminosa. A unidade tem administração terceirizada. Há cobrança de taxa para uso dos banheiros. Elevado custo de aluguel faz com que algumas lojas e o restaurante no piso superior permaneçam fechados. A unidade de atendimento da empresa Guanabara é ampla, climatizada, com bancos acolchoados e TV. Diariamente, centenas de passageiros utilizam o terminal e o transporte de ônibus para outras cidades e Estados e de micro-ônibus para a região. 

A Rodoviária Manoel Rodrigues, em Sobral, é administrado pela Expresso Guanabara, por meio de concessão. Dispõe de restaurantes, guichês para compra de passagens, além de diversos pontos comerciais. Caixas eletrônicos, estacionamento 24 horas, carregadores e serviços de informação também estão disponíveis. De acordo com a agricultora Luciana Carneiro, o serviço é satisfatório. "Os banheiros são limpos e os funcionários, educados", destacou. A empresa não informou sobre movimentação diária de passageiros no período de baixa e alta estação.
Fonte: Diário do Nordeste

Veja também essa denúncia divulgada pelo Fortalbus:


Algumas cidades estão perdendo a chance de conquistar novos turistas. No Ceará, todo foco está voltado para os aeroportos, mas é nos terminais rodoviários que os turistas fazem viagens dentro do estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados