sábado, 16 de agosto de 2014

Fortaleza: Casos de assaltos no transporte coletivo têm redução de 9%

Apesar da diminuição de 9% no número de assaltos, em relação primeiro semestre do ano passado, a insegurança dentro do transporte coletivo ainda é grande. Enquanto em 2013 foram registrados 1.145 assaltos entre janeiro e junho, neste ano o número diminuiu para 1.043, conforme dados do Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus). No ano passado, foram contabilizadas 220 ações de bandidos somente no mês de março, em junho foram 201. Em 2014, o mês com maior número de casos foi janeiro, com 230, seguido de março, com 205.

Apesar da diminuição do número de assaltos, o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro), Tobias Brandão, afirma que a situação da insegurança nos coletivos continua a mesma. "Depois da morte do motorista de ônibus Francisco Erivaldo Marinho, em maio, houve um aumento no trabalho da Polícia para coibir os assaltos. Mas, com o passar do tempo, isso foi diminuindo e, hoje, voltou ao que era antes".

Brandão ainda comentou que as reuniões realizadas entre o sindicato, o Sindiônibus e o Poder Público não estão surtindo efeito, já que quase nada está sendo implantado. "Na última reunião, no dia 9 de agosto, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e o Sindiônibus não compareceram", reclamou.

O superintendente técnico do Sindiônibus, Francisco Pessoa de Araújo Neto, ressaltou que as ocorrências dentro dos ônibus são questões de segurança pública. "Andar de ônibus não deixa a vida de ninguém mais perigosa", asseverou.

Com o objetivo de desestimular as ações dentro do transporte público, Neto disse que as empresas tentam diminuir a circulação do dinheiro ao incentivar o uso do crédito eletrônico, os veículos possuem cofre, câmeras de vídeo capturam tudo que se passa nos coletivos, as rotas dos ônibus são acompanhadas online pela Etufor e pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (CIOPS).

Além disso, ele destacou que o Sindiônibus apelou para a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) para que a Polícia realize mais abordagens aos veículos para coibir a ação dos bandidos. "Infelizmente, a PM não tem efetivo para colocar um policial em cada ônibus", declarou.
Com informações: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados