sábado, 27 de setembro de 2014

Bomfim deixa as linhas interestaduais e vai operar com transporte escolar e fretes

Por Cássia Santana
A Empresa Senhor do Bomfim encerrou efetivamente as atividades na exploração das linhas interestaduais e as novas empresas substitutas já começaram a operar no sistema, com a promessa de melhorar a qualidade da prestação dos serviços e manter os preços das passagens. Convocado para representar a Bomfim, o funcionário José Carlos Alves da Silva conversou com jornalistas para explicar os motivos que a empresa sergipana desistiu de operar o sistema interestadual.

O representante informou que a Bomfim desistiu de continuar operando o sistema interestadual em função da crise financeira, que ficou ainda mais abalada em decorrência do bloqueio dos bens feito pela justiça do trabalho para pagamento das rescisões de contrato de outras empresas, que foram cassadas do sistema de transporte da região metropolitana. Mas o representante da Bomfim deixou claro que não tinha autorização para falar em nomes destas outras empresas, apesar da justiça do trabalho considerar que elas pertencem ao mesmo grupo.

Com relação especificamente à Empresa Bomfim, José Carlos garantiu que os débitos trabalhistas dos 350 funcionários demitidos da Bomfim terão prioridade. “Não há a menor chance de alguém ficar sem receber as verbas rescisórias”, observou. “Inclusive estamos aliados do sindicato para que estes empregados sejam contratados por outras empresas. Trata-se de uma mão de obra bem qualidade e a empregabilidade é tranquila”, considerou.

Depois de quitar os débitos trabalhistas e sanar as dívidas contraídas com fornecedores, segundo José Carlos, a Empresa Bomfim retomará o fôlego e pretende, nos próximos quatro meses, buscar novos serviços no mercado, explorando atividades relacionadas ao transporte escolar, turismo receptivo e outros fretes. Parte da frota, composta por cerca de 80 veículos, será utilizada para as novas atividades da empresa, mas a outra parte está comprometida com o bloqueio e permanece à disposição da justiça do trabalho.

Novas empresas
As duas novas empresas, Rota e a Águia Branca, já começaram a operar as linhas deixadas pela empresa Bomfim.  De acordo com os representantes das novas empresas, 60% das linhas foram absorvidas pela Rota, e 40% pela Águia Branca. A Rota explora as linhas, saindo de Aracaju com destino às cidades alagoanas de Arapiraca e Maceió, as baianas Paulo Afonso, Salvador e Itabuna e também João Pessoa, capital paraibana.

Já a Águia Branca opera as linhas Aracaju/Salvador, pela Linha Verde; Penedo, em Alagoas, com destino a Salvador, passando por Aracaju; e também com destino a Feira de Santana, na Bahia.

Os passageiros estão com boas expectativas. “Vamos ver se melhora a prestação do serviço”, considerou o motorista Robson dos Santos, que costuma viajar a Salvador. “Esta é a primeira vez que estou comprando nesta nova empresa”, explicou, sem poupar críticas aos serviços prestados pela empresa Bomfim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados