sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Fortaleza: Assaltos em ônibus têm queda, mas preocupam

Você se sente seguro ao andar de ônibus em Fortaleza? Os relatos cotidianos de ocorrências criminosas nos coletivos e os registros oficiais, levam à previsível resposta negativa. De janeiro a outubro deste ano, 1.485 assaltos foram praticados em ônibus na Capital. Uma média de quatro ocorrências por dia. Comparado ao igual período de 2013, onde foram 2.528 registros do tipo, houve redução de 41%. Apesar do recuo, o total de assaltos ainda assusta e deixa vulnerável os cerca de 850 mil passageiros que são transportados diariamente.

Histórias, vítimas e testemunhas não faltam sobre roubos nos coletivos. Neste ano, algumas ações tiveram como desfecho a morte de passageiro e profissionais do transporte rodoviário. Em outubro, foram 102 assaltos. Se comparado ao igual período de 2013, a redução foi de 37%. Quando confrontado com setembro deste ano, o total de ações criminosas aumentou 6%.

Setembro foi o mês que contabilizou menos ações do tipo, com 96 registros. Janeiro foi o mês com o maior número, 230 assaltos. E foi depois deste mês que o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus) e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro) exigiu uma atuação mais direcionada das forças de Segurança Pública do Estado para o setor.

Em fevereiro, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) lançou a Operação Coletivo Seguro, com a promessa de intensificar ações de vistoria em 55 linhas do transporte coletivo, sendo 40 de ônibus e 15 de vans. A operação surtiu efeito e a situação considerada grave em 2013 - com média de seis assaltos por dia - foi amenizada, segundo o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira. Porém, Dimas destaca que a expectativa é que os atuais números retornem ao patamar verificado entre 2004 e 2011, onde ocorria menos de um assalto por dia.

"Em 2012, tivemos uma pequena elevação, mas 2013 arrebentou, bateu recordes negativos. Chegamos a ter dez assaltos em 24 horas e aí passamos a ter o contato mais direto com a Segurança Pública" conta. De acordo com ele, câmeras de segurança começaram a ser implantadas nos coletivos em 2007, e, atualmente, todos os veículos da frota têm os equipamentos.

Em 2010, foi adotado o rastreamento por GPS. Os ônibus são acompanhados em tempo real e segundo Dimas, devido a um convênio formalizado em 2012, há um funcionário do Sindiônibus na sede da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) que controla o monitoramento.
Com informações: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados