quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Um passo no passado: Guanabara 431

Por Fortalbus
A criação do Fortalbus tinha a despretensiosa missão de reunir pessoas que compartilhassem do mesmo interesse em comum: o ônibus. Diversos tópicos de discussão em uma rede social pautavam a ideia do grupo, disseminar e adquirir conhecimento sobre o que envolvessem os coletivos e sistemas de transporte. Pouco a pouco a comunidade foi crescendo e a respeitabilidade na mesma proporção.

Em 2015, o Fortalbus, completará 10 anos de existência e para iniciar as comemorações desta da data, estamos iniciando mais uma seção para o leitor apreciar o antes e depois dos ônibus. Hoje começamos contando as várias etapas dos ônibus que fizeram parte do prefixo 431 da Guanabara.
A Guanabara nasceu com a convicção de que, para ser uma empresa competitiva, não bastaria oferecer o melhor serviço. Seria preciso também investir na construção de uma imagem para transmitir à sociedade os benefícios dos seus atributos como uma empresa capaz de se diferenciar das de mais. 

O visual de sua pintura foi uma reformulação da tradicional usada pelo Grupo desde a década de 1970, no qual manteve as mesmas características em forma de flechas nas cores vermelho e azul. A primeira logomarca foi criada em 1992 e tratava-se de um símbolo simples, com duas elipses, uma na cor azul e outra vermelha, que sugeria movimento com segurança, conforto e rapidez, em todas as direções. Em seus ônibus ostentava o logotipo que trazia ainda o nome da empresa estampado em azul com os nomes “Expresso Guanabara”.

(1994) Guanabara 431 - Mercedes-Benz Monobloco O-400 RSL
A frota inicial da Expresso Guanabara era composta de veículos oriundos da Normandy e da extinta Expresso de Luxo, essa última empresa foi comprada e dando inicio a gigante Guanabara. Um dos veículos que chamou a atenção foi o Monobloco O-400 RSL, produzido pela Mercedes-Benz. O modelo foi um sucesso de vendas por mais de 40 anos e teve sua última versão o O-400 que encerrou a linha de montagem e produção por questões de venda. O modelo era de um produto totalmente diferenciado do que havia no mercado para a época, e conseqüentemente mais caro. Na metade da década de 90, o mercado não estava pagando caro, para adiquirir este tipo de veículo, fazendo com que a produção dos monoblocos fosse encerrada e a Mercedes-Benz apostou apenas nas vendas de chassis de ônibus, com motorização dianteira e traseira.

(2004) Guanabara 431 - Paradiso G6 1200/Mercedes-Benz 0-400 RSE
O Paradiso G6 1200 da Guanabara, tinha além das modernas linhas externas e internas, apresentava inovações que vão desde o sistema de sinalização até os espelhos retrovisores: tinha um sistema de ar-condicionado no teto; frigobar; janelas laterais com vidros colados; 46 poltronas com reclinação convencional; painel eletrônico com indicador de relógio; luzes de leitura com teclas iluminadas. A frente do veículo possui conjunto ótico em peça única integrada à grade dianteira e quatro faróis de neblina embutidos no pára-choque. Pára-brisas foram redesenhados, vidros laterais maiores para aumentar a visibilidade do motorista. 

(2014) Guanabara 431 - Paradiso G7 1200/Mercedes-Benz 0-500 RSD
Em 2014 o prefixo voltou a fazer parte da frota da Guanabara. A empresa adquiriu, o novíssimos e moderno veículo 431 com a inovadora tecnologia BlueTec, que os torna mais eficientes no consumo de combustível e reduz a emissão de poluentes na atmosfera, atendendo aos padrões internacionais Euro V e contribuindo para a preservação do meio ambiente. O ônibus é do serviço Executivo (Classe Genesis) que dispõe de 46 poltronas que reclinam 140 graus, encosto para pernas, DVD. Atualmente, a Guanabara conta com uma frota de 415 carros. Com esses novíssimos veículos a idade média da frota da Guanabara caiu para menos de um ano, tornando-se a mais baixa do Brasil. A política de renovação constante da frota da Guanabara que preza, acima de tudo, pelo conforto e segurança dos seus clientes, fez a empresa conquistar um espaço inquestionável no mercado de transporte terrestre de passageiros. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados