quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

CTC e seus ônibus movidos a gás natural

Por Fortalbus
As primeiras experiências com ônibus movidos a Gás natural surgiram ainda no começo da década de 1980, porém, ganhou impulso quando a Empresa Brasileira de Transportes Urbanos (EBTU) lançou em 1984, o primeiro ônibus com motor ciclo Otto adaptado para álcool hidratado e gás natural como combustível. O projeto fazia parte de um programa desenvolvido pela EBTU com o objetivo de reduzir o consumo de óleo diesel no setor de transportes coletivos e baratear as tarifas.
Ônibus movido a gás natural em Recife - 1991
A cidade de Natal foi uma das pioneiras quando em 1984 realizou as primeiras experiências com estes veículos no nordeste, aproveitando as reservas de gás natural existentes na região de Guamaré, a 200 quilômetros da capital potiguar. Aracaju e Salvador iniciaram as experiências em 1985, no ano seguinte Recife também aderiu à experiência.

Em Fortaleza, a implantação do gás natural foi definida em julho de 1988 através de um protocolo de intenções assinado pela Prefeitura de Fortaleza, Petrobrás e a Empresa Brasileira de Transportes Urbanos (EBTU). Foi definido que seriam testados inicialmente em veículos da Companhia de Transporte Coletivo (CTC), estendendo-se mais tarde aos ônibus das demais empresas da cidade que tivessem interesse em utilizar.


Em 1988, eram produzidos no Ceará, diariamente, 240 mil metros cúbicos de gás, dos quais 170 eram gastos no Distrito Industrial, deixando 70 para serem queimados, ou seja, o gás não aproveitado seria destinado ao transporte coletivo.

Os primeiros ônibus movidos a gás natural chegaram à Fortaleza apenas em 1992, seis unidades do modelo Mercedes-Benz Monobloco O-371 foram entregues a CTC, prefixos 113 a 118. Finalmente o programa da Petrobrás Distribuidora (BR), funcionaria na prática.

Inicialmente, os ônibus foram abastecidos a partir de um caminhão-tanque que trazia o gás de Natal, enquanto a Petrobrás concluía a construção de um posto no bairro de Antonio Bezerra. Os veículos foram escalados para as linhas Aguanambi 1 e 2, percurso com aproximadamente 13 km de extensão.
Monobloco na Avenida Beira Mar, em Fortaleza
O modelo O371 a gás natural, lançado em 1989, foi uma aposta tecnológica da Mercedes-Benz esperando que o mercado pudesse vir a evoluir no futuro. A consciência ambiental foi um elemento a mais de incentivo no aprimoramento destas tecnologias veiculares.
Primeiro posto de abastecimento GNV em Fortaleza

Abastecimento do GNV em posto da Petrobrás





Com a implantação tardia do gás natural em Fortaleza, o programa não foi ampliado, mantendo em circulação apenas os seis veículos da CTC, muito pouco comparado a cidades como Recife, Aracaju e Natal, que tiveram dezenas de ônibus incluídos na frota urbana.

Na época, além do chassi a gás natural ser 50% mais caro que os similares a diesel, as peças de reposição eram mais caras e sua vida útil mais curta. Por conveniência, os seis ônibus da CTC logo foram convertidos para óleo diesel, sendo desativados no inicio da década passada.

A experiência do gás natural em Fortaleza não foi muito diferente das demais cidades, onde o uso deste combustível em prol da consciência ecológica, não evoluiu para a inclusão significativa destes veículos na frota de ônibus urbano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados