domingo, 8 de fevereiro de 2015

Internautas apontam problemas e dão dicas de convivência dentro e fora do ônibus

Lotação, insegurança, falta de mobilidade e até assédio. As situações controversas são exacerbadas dentro dos ônibus. Quem nunca ficou com raiva aquele passageiro que estava no meio da passagem que atire a primeira pedra! Lançamos o desafio aos seguidores do Facebook e perguntamos sobre como sobreviver aos problemas no transporte público. A maioria elencou os problemas e algumas dicas de como revertê-los. E com muito humor, do jeito cearense de ser.

Para o quadrinista e redator Pedro Brandão, a pior de todas as manifestações de falta de educação dentro do ônibus é a das pessoas que escutam música para todos ouvirem. Segundo Pedro, na maioria das vezes, em um ônibus lotado, tudo que é necessário é um bom silêncio.

“Os famosos DJs de ônibus são uma das facetas do que há de pior no egoísmo humano. Prefiro não cair nas armadilhas do preconceito musical, em dizer que tais pessoas só colocam música ruim, até porque gosto de todo tipo de música. No fim das constas, não importa se é Bach ou Safadão, se é Sonata Artica ou Band Djavú, se é Cannibal Corpse ou Xuxa. Ninguém deveria obrigar outrem a ouvir sua música, afinal o corpo todo é um ouvido”.

Questionado a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) sobre os problemas lembradas e suas melhorias. O órgão informou que para os passageiros que não querem perder tempo, os horários das linhas são divulgados no site da Etufor ou no Google Maps. Caso o passageiro esteja em um terminal, os auxiliares de operação da Etufor e do Sindiônibus podem ser consultados para repassar informações.

O problema da insegurança é constante na cidade, por isso a Guarda Municipal e Polícia Militar estão reforçando a segurança nos terminais e realizando abordagens nos coletivos. “A operação é realizada desde 2014 e já apresentou redução no número de assaltos dentro dos coletivos”, detalhou por meio de nota.

Quanto à frota, o número de ônibus circulando durante períodos escolares ou de férias, a verdade é que há uma ampliação durante o período letivo. A Etufor justifica que há aumento da demanda. Já o problema de troco é considerado pontual. Além disso, o órgão aconselha a utilizar crédito eletrônico, como Pass Card, Bilhete Único ou Carteira de Estudante.

Lotação, prioridade, assédio e som em ônibus são apontados como problemas de comportamento, que devem ser resolvidos com respeito ao próximo. Quando há assédio sexual no transporte público, a orientação é que a pessoa que se sentir lesada faça o registro da ocorrência na polícia.

No caso da lotação, a Etufor ressaltou que seus auxiliares de operação procuram fazer a organização das filas, mas os próprios passageiros descumprem as orientações e causam a situação relatada. “Não existe regulamentação que proíba a utilização de equipamentos sonoros. A utilização de som segue o mesmo princípio da organização das filas: o do respeito ao próximo”, finalizou.
Com informações: Tribuna do Ceará

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados