terça-feira, 9 de junho de 2015

Faixas exclusivas de ônibus são respeitadas pela maioria da população

A cultura de respeito às faixas exclusivas para ônibus já tem a aceitação da maior parte dos condutores fortalezenses. No binário Santos Dumont/Dom Luís, por exemplo, menos de 1% do total de veículos que trafega nas duas vias desrespeita os espaços reservados aos coletivos. A informação é da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC).

Conforme levantamento do órgão, 61 mil carros e motos circulam diariamente nas duas avenidas, sendo que destes, uma média de 396 são autuados por trafegar nas faixas destinadas a ônibus. Mais especificamente, a taxa de autuações chega a 0,6% nas duas avenidas. 

O diretor de trânsito da Autarquia, Arcelino Lima, observa que o percentual de motoristas infratores tende a diminuir. "Quando a fiscalização eletrônica começou no binário, o número de veículos cometendo a irregularidade estava entre 2 e 3%. Quanto menos pessoas cometerem a infração, melhor funcionará o transporte coletivo", analisa.

Arcelino ressalta o fato de a medida ser de fácil implementação, ter baixo custo e alta eficiência. "A delimitação das faixas não requer obras, apenas a instalação de equipamentos desinalização", diz.

Resultados
Na avaliação do engenheiro da Prefeitura de Fortaleza, Ezequiel Dantas, o resultado alcançado com a implantação dos espaços exclusivos é satisfatório. "O principal objetivo é o aumento da velocidade operacional dos coletivos, o que foi conseguido. Isso traz junto outras vantagens, como a redução do tempo de viagem e do tempo de espera nas paradas", explica.

Com a implantação das faixas no binário, a velocidade média dos coletivos chegou a 207% na Avenida Santos Dumont, no horário das 17h30 às 18h30, passando de 4,4 Km/h a 13,5 Km/h. Na Av. Dom Luís, o aumento também foi expressivo, chegando a 143%. Antes da instalação das áreas de circulação específica, a velocidade era de 9,2 Km/h, enquanto hoje é de 22,4 Km/h. Até julho deste ano, o Paitt deverá executar mais 73,9 Km de faixas exclusivas. Atualmente, a cidade dispõe de 61,6 Km de espaços como estes.

A próxima a operar fica na Av. Leste/Oeste, com 11 Km de extensão. Os trabalhos de sinalização vertical ainda estão sendo finalizados. Em seguida, será a vez das avenidas Abolição, Juscelino Kubitschek, Alberto Craveiro e Mister Hull. Para o professor Mário Azevedo, as faixas exclusivas têm se mostrado um importante instrumento para a melhoria do trânsito. Na visão dele, entretanto, outras iniciativas também precisam ser postas em prática pelo poder público para que os benefícios sejam mais efetivos, como a requalificação das calçadas.

"Para usar o transporte coletivo as pessoas precisam das calçadas, que no momento não oferecem boa estrutura. É preciso combater os estacionamentos irregulares, que além de prejudicar o pedestre, atrapalham o trânsito. Quando um motorista sai de ré, diminui muito a velocidade do transporte público, pois a manobra ocorre em um corredor por qual passam muitos ônibus. São centenas de pessoas se atrasando", avalia o professor.
Com informações: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados