sexta-feira, 10 de julho de 2015

Marcopolo aposta em cinco novos modelos de ônibus

Confiança e expectativa de melhora do mercado em 2016 são as palavras que norteiam a Marcopolo em época de recessão. Apesar da queda de cerca de 27% nas vendas de ônibus de janeiro a junho, com previsão ainda maior até dezembro (30%) – até agora os financiamentos pendentes tem ajudado –, a encarroçadora gaúcha aposta em lançamentos para se manter competitiva e preencher nichos de mercado. Cinco novos ônibus estão sendo lançados em complemento à linha de urbanos e rodoviários. A principal novidade é a nova geração do rodoviário de fretamento e curta distância Ideale. Maior em largura e altura, o modelo incorpora design atualizado com poltronas mais confortáveis. Até então voltada ao México, a versão Paradiso 1350 da Geração 7 de rodoviários passa a ser vendida no Brasil, graças sobretudo à permissão de acréscimo de uma tonelada por eixo, diminuindo as chances de excesso de peso em balança. A nova família de urbanos Torino é completada com as versões motor traseiro, piso baixo (Low-Entry) e articulado (Express), estas duas últimas opções mais baratas voltadas a corredores exclusivos para ônibus que não possuem todas as características de um BRT.

Com a definição da renovação dos contratos de concessão de linhas interestaduais por autorização, pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Marcopolo espera retomar o número de pedidos de ônibus rodoviários no ano que vem. Somam-se à expectativa a renovação das frotas de ônibus urbanos em ano de eleições municipais e os investimentos do governo federal em estrutura aeroportuária.

Lançado em 2006 e situado abaixo do recém-lançado Audace, o Marcopolo Ideale passa por sua primeira grande mudança mantendo a essência da carroceria, com maiores dimensões: ficou 50mm mais largo (agora tem 2,55m) e mais alto (tinha 770mm de saia lateral; agora são 800mm). O design manteve as lentes óticas dos faróis e lanternas, porém com novo formato, grade do para-choque herdada do G7 e janela do motorista do novo Torino. O principal objetivo da Marcopolo ao compartilhar componentes entre modelos é tornar a linha de ônibus o mais intercambiável possível, diminuindo os custos de almoxarifado nas garagens. Na traseira os retrorrefletores (o popular olho de gato) foi deslocado para o para-choque. A porta de acesso passa a ser do tipo In-Swing que se abre para dentro do veículo, oferecendo maior segurança e funcionalidade. A configuração interna foi revista com maior espaço de circulação no corredor, com 375mm de largura, novas poltronas de 1.005mm de largura (15mm a mais que as anteriores), revestimentos e porta pacotes. No painel a mudança fica por conta do sistema operacional Multiplex sensível ao toque. As versões 600 e 770 do antigo Ideale permanecem em produção.

Marcopolo Paradiso 1350
Opção intermediária entre os Paradiso 1200 e 1600 LD (Low Driver), o Paradiso 1350 retoma versão já oferecida na geração anterior (6) de rodoviários, com maior capacidade de transporte no bagageiro (19,57 metros cúbicos), própria para viagens de turismo e de compras. O lançamento aplica reestilização interna para a linha Paradiso, com novo toalete com menor vibração e calor oriundo do cofre do motor traseiro e filtro removível do ar-condicionado, que permite limpeza a cada viagem. A Marcopolo espera, com os aprimoramentos, eliminar falhas de qualidade que afetaram o início de fabricação da família Geração 7. Além disso, no 1350, o espaço nos porta pacotes foi ampliado (para 3,8 metros cúbicos) e o painel passou a ser fixo, sem comando satélite (outra inovação do G7). Desde o início da exportação em 2013, cerca de 100 unidades foram vendidas para o mercado mexicano e países vizinhos, como o Peru.

Família Torino completa
A Marcopolo completa ainda a nova família de urbanos do modelo Torino, lançada com o motor dianteiro em dezembro de 2013, com as versões motor traseiro, piso baixo (Low-Entry) e articulado (Express). As duas últimas são carrocerias mais baratas em relação aos modelos Viale BRS e Viale BRT, com design avançado e focados no transporte rápido por ônibus. “O objetivo é oferecer a melhor solução, de acordo com as características do seu negócio/serviço. Desde o Torino com motor dianteiro, o modelo de menores custos de aquisição e operação, até o Torino Express articulado, com capacidade para mais de 130 passageiros”, afirma o diretor de operações comerciais da Marcopolo, Paulo Corso. Por causa de legislação específica para ônibus de piso baixo, o Torino Low Entry vem com maior largura (2,60m), enquanto os demais mantém os 2,55m do motor dianteiro. Com a chegada das versões o Torino anterior (lançado em 2007) deixa de ser produzido.

Marcopolo por segmento
60% de participação nos ônibus rodoviários
38% urbanos
25% micro-ônibus
Com informações: Vrum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados