sexta-feira, 28 de outubro de 2016

O inicio do transporte integrado na cidade de Fortaleza

Por Fortalbus
As grandes mudanças introduzidas pela Prefeitura mudaram a cara do transporte coletivo de Fortaleza. A cidade tinha necessidades diferentes. Atualmente, com população estimada em 2,7 milhões habitantes, o município tem novas demandas que refletem no transporte. Os horários de pico têm plataformas congestionadas nos terminais de ônibus e o trânsito lento prejudica o cumprimento de horários dos ônibus, mesmo com criação de faixas exclusivas.

Entre os passageiros, embora a avaliação seja de que o modelo de transporte implantado há mais duas décadas melhorou em comparação com períodos anteriores, continuam as reclamações de falta de ônibus em quantidade suficiente em algumas linhas e de dificuldades na formação de filas para o embarque de passageiros nos terminais. 

No dia 1º de julho de 1992, entrou em operação o sistema que passou a proporcionar integração física e tarifária através da inauguração dos primeiros terminais integrados do (SIT-FOR), sendo uma novidade para os usuários que utilizavam os ônibus para os seus deslocamentos pela cidade. A transformação foi radical, até mesmo porque o parâmetro de comparação anterior era ruim. 

Além do benefício da tarifa unificada e da possibilidade de pegar mais de um ônibus com a mesma passagem, o SIT trouxe outras mudanças, como a padronização visual dos veículos, aquisição de veículos dotados de três portas do tipo “padron” e embarque pela porta dianteira. Outra mudança foi a maneira de arrecadação das empresas, que através da câmara de compensação, passou a ter o repasse de recursos recolhidos na operação de linhas mais lucrativas para as permissionárias das menos lucrativas.

Como as linhas passaram a ser baseadas no sistema tronco-alimentado, as três pinturas tinham o propósito de identificar cada tipo de percurso, onde os troncais eram representados pelos ônibus de cor azul, os circulares pela cor laranja e os alimentadores por verde. Entretanto, a aplicação de veículos em suas respectivas linhas não funcionou ao pé da letra, e com o passar dos anos, até hoje o layout com tons azuis permaneceu lembrando as cores deste sistema. O SIT deixou a cidade de Fortaleza com uma frota de ônibus nova, reduzindo a idade média.

O sistema foi se organizando aos poucos, além dos terminais de Messejana e Antônio Bezerra, foram inaugurados em 1993 outros quatro terminais de integração, Papicu em janeiro, Lagoa em julho, Parangaba em agosto e Conjunto Ceará em setembro. Em 1995, o embarque voltou a ser realizado pela porta traseira. Em novembro do mesmo ano, foi inaugurado o sétimo e último terminal, o Siqueira. Além dos sete terminais integrados fechados, existem dois abertos não integrados localizados no centro da cidade, Praça Coração de Jesus e Praça da Estação.

Com o passar dos anos, o Sistema Integrado foi tentando se adequar as necessidades da população, porém, ao mesmo tempo se tornava obsoleto. Hoje, os terminais sofrem com a demanda que cresce a cada dia, obrigando aos órgãos gestores procurar alternativas para minimizar as consequências do crescimento da metrópole. Hoje, o transporte coletivo de nossa cidade está passando por transformações, incluindo novos modais e tecnologia para sua operação, demonstrando a cada dia que mesmo com algumas críticas, este é o modelo que foi abraçado pela cidade.

5 comentários:

  1. Bem lembrado, no início o SiT era dotado de veículos padron. Com o passar do tempo os empresários negligenciaram com uso equivocado e massivo de carros dianteiros até em linhas longas e de alta demanda. Imaginei um retorno com o BRT, contudo incorporaram apenas 8 articulados e os atuais 'padrons' não são de fato.

    ResponderExcluir
  2. Também sou favorável ao embarque pela porta da frente, por várias razões: equilíbrio de peso do ônibus, reduz acidentes pois o passageiro tende a não atravessar na frente do veículo, evita aglomeração excessiva na frente com o embarque tumultuado de gratuidades e gestantes na mesma porta que é feito o desembarque, evasão ocorre independente de embarque na porta traseira. Última razão: Fortaleza é uma das poucas cidades que ainda adotam embarque na porta de trás.

    ResponderExcluir
  3. kkk lembrando os tempos antigos de ônibus!

    ResponderExcluir

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados