quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Iveco avança no mercado com chassis de ônibus

Às vésperas de completar seu primeiro ano de operações no Brasil, a divisão Iveco Bus já comemora os resultados do avanço da marca no segmento de transporte de passageiros. Lançada oficialmente na Fetransrio, realizada em outubro de 2014, a montadora decidiu reunir sob o mesmo leque os negócios de chassis de ônibus e criar uma equipe própria de gestão, separando-a da alçada de caminhões, a exemplo da estrutura que mantém há anos na Europa, onde é a segunda maior do mercado com participação de 20%. Por aqui, mas também visando os demais países da América Latina, a empresa vem trabalhando de forma mais coordenada para oferecer diferentes soluções de aplicação para os modelos minibus Daily, micro-ônibus City Class e o mais recente lançamento, o chassi S170, de 17 toneladas, cuja categoria detém cerca de 60% do mercado doméstico de ônibus.

“Acreditamos que o primeiro ano em operações no Brasil indica que, investindo no melhoramento contínuo dos produtos e no incremento do nosso portfólio, vamos repetir esse sucesso [da Europa] no País”, afirma Humberto Spinetti, diretor de negócios da Iveco Bus para a América Latina.

O gerente comercial da Iveco Bus, Ricardo França, lembra que a chegada do S170 impulsionou fortemente a entrada da empresa no mercado de ônibus convencional, sendo o principal responsável pelo crescimento de 120% das vendas de chassis da marca no Brasil no período de janeiro a agosto deste ano na comparação com iguais meses do ano passado, passando de 406 para 895 chassis. 

“Fazemos um balanço bastante positivo desse quase primeiro ano completo. Já tínhamos a percepção de que o mercado seria menor em 2015 e nossa preocupação era a de direcionar a marca Iveco Bus com produtos que trazem importantes benefícios e que estão sendo provados pelos nossos primeiros clientes. Esses primeiros resultados superaram nossas expectativas: nossa meta para o primeiro ano era uma market share de 5% e já estamos em 7%. Em um ano, subimos da 5ª para a 4ª posição do ranking no mercado M3 [veículos a partir de 5 toneladas até os articulados]”, revela.

França conta que a relação custo x benefício é a principal característica procurada pelos clientes durante as prospecções de novos negócios. Desde que foi lançado, o S170 já roda em pelo menos 12 frotistas que operam em diferentes cidades do País, em quatro das cinco regiões. A fim de conduzir um trabalho de melhoras contínuas de produto, a equipe de pós-venda tem acompanhado de perto o desempenho do veículo em alguns dos clientes e, de acordo com dados fornecidos pelos próprios frotistas, os novos ônibus concederam economia de até 5% do consumo de combustível para as operações.

“Isto é possível graças ao conceito de downspeeding que confere ao motor FPT N67 o desempenho de um motor de seis cilindros com a calibragem de torque de um quatro cilindros: isso representa menor consumo sem perder a potência, porque ele opera em baixa rotação. Para algumas aplicações, ‘sobra’ motor, para outras, é suficientemente adequado e robusto ”, explica o gerente comercial da FPT Industrial, Maurício Neto.

O pacote de soluções oferecido pela empresa também tem garantido o bom desempenho das vendas do modelo S170, reforça França: “Sabíamos que neste ano as coisas mudariam de figura a partir das novas regras do Finame PSI, anunciadas no fim do ano passado. Com isso, criamos condições de financiamento a partir do Banco CNH, que oferece a mesma taxa de juros da linha de financiamento do BNDES em contratos de CDC para a parcela que o banco não financia mais, uma vez que o Finame passou a subsidiar 70% ou 50% dos veículos, conforme o porte do cliente.”

Para ajustar o portfólio às necessidades, a Iveco realiza o trabalho constante de desempenho do veículo no cliente. “Com isso, conhecemos de perto a eficiência do que projetamos e a partir da ótica do frotista, que lida com a operação diariamente, tanto a urbana como a rodoviária, coletamos informações e sugestões do que está bom e do que pode ser melhorado. Tudo é levado para o CDP (Centro de Desenvolvimento de Produto), aqui mesmo, em Sete Lagoas, onde a equipe de engenharia projetou o S170”. 

Ele espera que com a aproximação da marca no mercado de 17 toneladas, que no Brasil representa mais de 60% do mercado de ônibus, a Iveco possa brigar para superar a participação de 5% mercado deste nicho conforme o projetado anteriormente. “Temos que aguardar o fechamento do ano, alguns movimentos trazem expectativas bastante positivas, como a nova licitação do transporte público que está para sair na cidade de São Paulo. Percebemos outras ações do mercado geral da América Latina, ansioso pelo S170, como Paraguai e Costa Rica que já manifestaram algum interesse.” 

Sobre o que espera do próximo ano, França analisa que o processo de recessão ao qual o Brasil está passando não estará totalmente solucionado em 2016, mas aposta que a inovação de algumas frotas será inevitável. “Acredito que para este ano, o mercado nacional de ônibus feche com 17 mil unidades. Em 2016, estamos trabalhando com algo em torno de 18,5 mil chassis. É uma pequena melhora, mas é positiva”, finaliza. 

Pensando no Futuro
Além do aperfeiçoamento dos produtos que já oferece ao mercado, a Iveco começa a expandir suas experiências de veículos com propulsão alternativa. É o caso do miniônibus Daily 100% elétrico, que acaba de chegar ao Brasil para um período de testes. Desenvolvido na Europa, o chassi é equipado com sistema modular que comporta até quatro baterias de sódio e níquel Fiamm Sonick Z5 que alimentam um motor elétrico de corrente alternada, controlado por um inversor de potência resfriado a água. 

“A Daily elétrica já roda na Europa. No Brasil, não é uma tecnologia que o mercado está pedindo, mas trouxemos para entender a aplicabilidade da operação e o impacto na infraestrutura”, afirma Fabio Nicora, gestor da área de inovação da Iveco para a América Latina. Ele acrescenta que o veículo apresenta autonomia de 100 quilômetros com carga cheia, demora até oito horas para recarregar e a bateria tem vida útil de cinco anos. 

O projeto da van 100% elétrica faz parte do programa que integra testes de desenvolvimento de trações alternativas na Iveco. Já há veículos da marca, incluindo caminhões, em testes com GNV (gás natural veicular), até 40% de etanol no ciclo diesel e veículos movidos a biometano com motor FPT.

A Iveco também prepara a expansão de sua parceria com a encarroçadora Neobus a partir de um novo modelo de negócio a ser anunciado em breve.
Com informações: Automotive Business

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados