quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Transporte coletivo de Juazeiro do Norte não acompanha o crescimento urbano da cidade

Juazeiro do Norte. Com população estimada em pouco mais de 266 mil habitantes, Juazeiro do Norte possui uma taxa de urbanização de 96,7%, e uma população flutuante de 2 milhões por ano, segundo o IBGE, o que gera uma grande demanda por transporte público. Vale lembrar que, de acordo com a Lei de Mobilidade Urbana (Lei nº 12.587/2012),os cidadãos tem garantido o direito à participação no planejamento, fiscalização e avaliação da concessão ou permissão na política de mobilidade urbana da cidade.

Mas a realidade é outra. A questão dos transportes públicos de Juazeiro é um problema para seus usuários. Não são raras as vezes que os coletivos falham com a população. Atrasos, veículos em estados precários ocasionam a constate quebra dos ônibus que fazem as linhas da cidade. Para o diretor geral da Organização não governamental (ONG), Escola de políticas públicas (Epuca), Joelmir Pinho, os vários problemas que envolvem o transporte coletivo urbano em Juazeiro do Norte passam por três questões centrais. 

”A visão limitada e a ganancia dos empresários do setor, hoje quase um monopólio, já que as duas maiores empresas estão nas mãos de um mesmo empresário; a total omissão ou atuação bastante acanhada do Ministério Público, a quem caberia zelar pelo cumprimento da legislação do setor, todos os dias desrespeitada pelas empresas e pelo poder público e a apatia da população, que acaba se submetendo a um sistema de transporte coletivo multiplamente precário”.

A ong pretende apresentar nos próximos dias, um conjunto de propostas, a partir das discussões do Fórum do Transporte coletivo urbano de Juazeiro do Norte (atualmente esvaziado) ao Ministério Público como representação, entre elas, a abertura imediata de processo licitatório visando a concessão de licença para prestação de serviços de transporte coletivo e a ampliação da oferta imediata de ônibus nos bairros mais populosos como Frei Damião, João Cabral e Aeroporto.

O Anuário NTU, publicado pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, aponta que a idade média da frota no sistema de ônibus urbanos de nove capitais brasileiras pesquisadas pela referida entidade é de 4,2 anos. Em Juazeiro do Norte, conforme dados do Demutran, a idade média da frota de ônibus urbano é de 13,3 anos. Mas, numa primeira olhada, é perceptível que há muito mais do que isso, a frota não é renovada.

As população tem usado veículos de comunicação alternativos para reclamar as condições dos transportes. As redes sociais são ambientes propícios para que cidadãos possam manifestar a suas indignações sobre as mobilidades e articular atos em defesa da melhoria das mesmas. As postagens tem a intenção de incentivar a população a não aceitar a falta de respeito com o direito de ir e vir.
Com informações: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados