quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Volvo Bus lança sistema de gestão para ônibus urbanos

Após um longo período de testes, a Volvo Bus apresenta ao mercado brasileiro o ITS4Mobility, Sistema Inteligente de Transporte para a Mobilidade (na sigla em inglês) que serve de ferramenta de gestão de frota e gerenciamento de tráfego dedicado a ônibus urbanos permitindo o monitoramento em tempo real via telemetria. Desenvolvido em parceria com a Ericsson na América Latina, a tecnologia que já é empregada pela Volvo Bus em outros países, como Suécia, Canadá e África do Sul, foi totalmente customizada para as necessidades da região com as mesmas funcionalidades oferecidas globalmente.

No Brasil vem sendo testada e utilizada desde 2009 nas linhas de transporte de passageiros da região metropolitana de Goiânia (GO) cuja operação é de responsabilidade da Rmtc, Rede Metropolitana de Transportes Coletivos, consórcio formado por cinco empresas.

“O ITS4MObility é parte da estratégia de ofertar soluções por meio do Programa de Mobilidade Volvo para gestão de tráfego lançado em 2014 e que faz tudo o que é possível para complementar a operação do ônibus” afirma Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Bus Latin America, durante o lançamento do produto realizado em Goiânia. Segundo o executivo, uma das vantagens do sistema é a customização para qualquer tamanho de frota e seu funcionamento com qualquer tipo de modal. “A implantação pioneira em Goiânia com a Rmtc, que é nosso primeiro parceiro no Brasil e quase coautora do sistema, ajudou a maturar a tecnologia com base nas suas necessidades e a entender a operação, peça fundamental para o desenvolvimento do projeto”, complementa.

Embora admita a demora em apresentar a tecnologia, Pimenta explica que o tempo foi necessário para alinhar produto e negócios: “Queríamos ter a maturação do projeto e alcançar a segurança necessária para abrir para vendas aqui na América Latina onde temos a parceria com a Ericsson”, justifica. Apesar do longo tempo de testes e operação do sitema em um único cliente nos últimos seis anos, Pimenta é otimista quanto à expansão da tecnologia nas linhas urbanas do País, apesar de demonstrar certa insegurança com o fator eleições municipais que ocorre em 2016.

“Estamos prospectando com dois possíveis clientes, mas eleições podem mais atrapalhar do que ajudar neste momento. O custo, no entanto, depende de diversos fatores, como o tamanho da frota porque é um valor também customizado, depende da cidade, do investimento necessário em infraestrutura e do operador. Lembrando que é um sistema pensado não só para o Brasil, mas para os demais mercados da América Latina.” Já o modelo de negócio, o executivo aponta que é totalmente conjunto: “A Volvo tem a interface do cliente, que é nossa contribuição dentro do negócio. A Ericsson será responsável pela implementação, suporte e manutenção, mas todas as tratativas e negociações são feitas em conjunto, pelas duas”, explica.

Segundo o vice-presidente de Indústria e Sociedade da Ericsson para a América Latina, Jo Arne Lindstad, até 2020, a transformação da indústria gerará algo em torno de US$ 2 trilhões em valor agregado. “E o setor de transporte é o que mais vai criar as oportunidades para este volume de valor agregado”, afirma . “Sistemas de transporte inteligente são complexos, pois demandam a integração das tecnologias da informação e comunicação com a infraestrutura de transporte existente, as frotas de veículos e os passageiros em si. Esse acordo é uma evidência da liderança da Ericsson nesse setor, além de um exemplo da transformação positiva que acontece agora no setor de transporte que também ruma em direção à sociedade conectada.”

Ele cita um estudo feito recentemente pela divisão Ericsson ConsumerLab no Brasil que mostra que os usuários do transporte público querem informações mais atualizadas e interativas sobre o seu trajeto. A pesquisa mostra um alto grau de conectividade entre os usuários e a necessidade de estar sempre online para ter acesso a aplicativos que auxiliem a planejar as viagens. “Esse sistema vai de encontro com as reais necessidades e demandas dos usuários porque oferece essa interface”, afirma.

Operação
Na prática, o ITS4Mobility funciona como uma ferramenta multifacetada a partir de uma avançada tecnologia que oferece inteligência à gestão de tráfego e informação ao passageiro, o que permite aumentar a produtividade operacional, a regularidade das linhas e a satisfação dos usuários do transporte.

O sistema acompanha em tempo real a circulação da frota, indicando se os ônibus estão operando de acordo com os horários planejados e com a frequência adequada, cumprindo os horários e mantendo a rota previamente definida. As diversas informações geradas no sistema, como a de localização, são enviadas a uma central de controle e apontam ao gestor possíveis desvios, ajudam a identificar pontos críticos da operação e permitem o replanejamento daquela linha ou daquela rota. O sistema possui conectividade de 100% dos veículos de forma estável.

“Não é um simples sistema de monitoramento da frota. Agrega inteligência à gestão em tempo real, permitindo uma tomada de decisões com eficácia e de forma embasada, garantindo a precisão das informações oferecidas aos passageiros”, afirma Vinícius Gaensly, responsável pela área de telemática da Volvo Bus Latin America.

Para o passageiro, o ITS4Mobility América Latina também oferece informação: a partir de um dispositivo eletrônico instalado nos ônibus, os operadores recebem dados como tempo de percurso, pontualidade dos veículos, quantidade de ônibus nos trajetos e velocidade média por linha, além de acompanhar a viagem em tempo real. Isso pode ser transmitido aos passageiros também em tempo real, como os horários de chegada dos ônibus nos pontos de parada de cada uma das linhas por meio de aplicativos para smartphones, em sites das operadoras, em totens nos terminais ou em pontos estratégicos e por contato telefônico via central de atendimento. “O passageiro é informado sobre o horário do próximo ônibus e do seguinte. Caso ele não consiga pegar o primeiro, sabe qual será o horário do próximo e assim não fica horas aguardando no ponto”, acrescenta Gaensly.

O ITS4Mobility para a América Latina pode ser modulado, com diferentes pacotes de informações, de acordo com a necessidade de gestão e operação. É compatível com ônibus de qualquer montadora, trens de superfície, VLT e barcos. Não opera em metrôs subterrâneos por necessitar de sinal via GPS.

“Integrado ao ônibus, o sistema mostra por meio de uma tela as informações úteis também ao motorista, como a linha que ele está operando, o trajeto correto, a localização das paradas para embarque e desembarque e funciona como uma ferramenta de autogestão”, afirma o diretor da Rmtc, Leomar Rodrigues. O empresário afirma que por meio dos dados obtidos com o ITS4Mobility, foi possível corrigir falhas e melhorar a operação a partir de um planejamento detalhado. “Hoje contamos com índices importantes, como os 99% de cumprimento das viagens com quase 100% da frota, 76% de pontualidade de horários ponto a ponto, 99% de confiabilidade nas informações de horários das linhas e 100% de controle da operação via Central (CCO), sem a necessidade de pessoal adicional on loco (sem fiscais nas ruas).” Dos 1.467 veículos controlados pela Rmtc, 64 possuem o sistema ITS4Mobility. A expectativa é expandir a ferramenta para toda a frota em 2016.
Com informações: Automotive Business

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados