terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Definido o plano de venda da Busscar

Por Claudio Loetz
Empresa mineira de transporte de passageiros articula pool de investidores para, juntos, disputarem a aquisição do parque fabril da Busscar Ônibus. Há conversas com empresário joinvilense e com grupo do Paraná com este objetivo. A leiloeira Tatiane Duarte vai enviar carta-convite a todos os fabricantes de carrocerias de ônibus para participarem do leilão. As informações detalhadas do formato do leilão estarão todas disponíveis no site da Superbid.

O leilão dos bens operacionais da Busscar vai acontecer no dia 15 de março (primeira praça) e em 29 de março (segunda data), na Acij. No dia 15, os inscritos poderão fazer oferta englobada para os três ativos que, somados, estão avaliados em R$ 369.395.922. Separadamente os valores mudam: a fábrica de carrocerias de Joinville custa R$ 249.863.368; a fábrica de peças de Pirabeiraba custa R$ 26.328.599; e a fábrica de peças em Rio Negrinho custa R$ 17.876.977. Se nenhum proponente arrematar os bens em conjunto, os interessados poderão fazer propostas em separado, por lote, já na sequência.

Fábrica por R$ 150 milhões
Na segunda oportunidade, 14 dias depois, a arrematação poderá acontecer por 60% do valor da avaliação já feita. Significa que o valor geral desce para R$ 221.583.000. Mas, na prática, os ativos circulantes (como os tributos, supostamente a falida tem a recuperar) não entram nessa conta, mostra o edital. O motivo é simples: quem arrematar as instalações fabris não terá certeza de que vai ganhar a causa na Justiça.

A rigor, é muito improvável receber estes supostos créditos. Por isso, neste caso, o investidor poderá adquirir a fábrica de carrocerias pelo valor mínimo determinado, que é de R$ 149.918.000. Ou a unidade de Pirabeiraba por R$ 15.797.160. Ou, ainda, a fábrica de Rio Negrinho por R$ 10.786.186. Assim, em tese, no total, o interessado consegue pagar apenas R$ 176.501.366 por tudo, se não houver lances maiores. Os lances poderão ser feitos prevendo pagamento em até 60 parcelas.

Propostas
Outros proponentes deverão apresentar propostas nos autos do processo de falência da Busscar, em andamento na 5ª Vara Cível de Joinville. Um destes potenciais interessados, representado por consultoria paulista e aparentemente amparado por ex-clientes da Busscar (nacionais e do exterior), promete entregar documento à Justiça nas próximas semanas. Este projeto prevê a retomada da produção, a ser destinada preferencialmente à exportação. Haverá reunião na próxima semana, em Joinville, para ajustar detalhes. Neste caso, eventual gestor de fundo de investimentos pode entrar no negócio. Antes, claro, faz toda a análise do quadro econômico-financeiro da Busscar para, só então, delinear proposta a ser encaminhada.

Modelagem
O formato encontrado permitirá maior número de participantes no certame. A estratégia da leiloeira e da Justiça em viabilizar a aquisição dos ativos fabris mediante diversas modelagens financeiras tornará mais atrativo o negócio. Sobe a perspectiva de sucesso. Do conjunto da massa falida da Busscar Ônibus, já foram arrematadas a Tecnofibras; a Climabuss e as ações da Busscar Colômbia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados