terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Volare mostra novo miniônibus Cinco

A Volare promete para este primeiro semestre o miniônibus Cinco, um modelo com chassi próprio e capacidade entre 13 e 20 passageiros a ser produzido na fábrica de São Mateus (ES). “O projeto custou cerca de R$ 80 milhões. Ele será montado em um novo galpão com 20 mil metros quadrados onde investimos mais de R$ 100 milhões”, afirma o diretor-geral da empresa, Gelson Zardo. A capacidade instalada é para 35 a 40 unidades por dia.

Como veículo de cinco toneladas de Peso Bruto Total (PBT), o modelo será beneficiado pela linha Finame. “Ainda não temos preços definidos, mas a intenção é que sejam competitivos em relação a Renault Master e Mercedes-Benz Sprinter”, diz Zardo. A Volare ainda não divulga ficha técnica completa do veículo, que tem altura máxima (considerando o ar-condicionado) próxima a 2,8 metros. As dimensões internas reveladas incluem altura de 1,93 m e largura de 1,91 m. 

O motor será o Cummins ISF 2.8 de 140 cavalos Euro 5. Haverá versão Euro 3 para exportação. A transmissão escolhida foi uma Eaton de cinco marchas. A Dana fornecerá os eixos dianteiro e traseiro. A ideia de fabricar o próprio chassi em vez de comprá-lo da Agrale ou Mercedes teria vindo da necessidade de redução de peso e melhor adequação ao projeto: “Normalmente encarroçamos os chassis, mas desta vez precisávamos ‘enchassizar’ uma carroceria”, afirma o diretor de engenharia e design Roberto Poloni. Ele estima 300 a 400 quilos a menos no peso final pela utilização da estrutura dedicada ao novo veículo. 

A carroceria é produzida com material plástico pelo processo SMC, iniciais de Sheet Mouldind Compound, que faz a pré-conformação a quente da resina, das fibras de reforço e outros componentes empregados, resultando em peças mais leves, uniformes e bem-acabadas que as de fibra de vidro convencionais. A nova geração do jipe Troller T4 lançada em 2014 também emprega esse processo. 

A Volare fará versões de turismo, fretamento e escolar, para 13, 16 e 20 passageiros, respectivamente. “Poderá haver equilíbrio nas vendas das três versões ou volume um pouco maior para a de turismo”, estima Zardo. Automotive Business entrou numa unidade para 13 passageiros. Chamam a atenção a facilidade de acesso, a largura do corredor, a grande área envidraçada e o desenho atual do painel de instrumentos. O espaço traseiro para bagagens e os maleiros internos são generosos. 

O modelo tem motor dianteiro e tração traseira. A lista de equipamentos terá rádio, navegador GPS, DVD player, câmera de ré e entradas USB e para cartão SD. A arquitetura eletrônica de chassi e carroceria conta com projeto interligado desenvolvido pela engenharia da Volare. 

A fabricante pretende enviar o novo modelo para países como Peru, Chile e Colômbia. “Também queremos exportá-los, a partir de outubro, para a África do Sul”, diz o diretor-geral. O Volare não divulgou projeções de vendas durante a apresentação prévia do modelo por causa da retração de mercado, que no caso dos micro-ônibus foi de cerca de 60%, enquanto a queda média para os ônibus em 2015 foi de 38,9% em relação a 2014.
Com informações: Automotive Business

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados