terça-feira, 12 de julho de 2016

80% da frota de ônibus do Rio de Janeiro é composta por Mercedes-Benz

Atualmente, 80% da frota de ônibus do Rio de Janeiro é composta por veículos da Mercedes-Benz. Somente em 2016, foram comercializadas 50 unidades do chassi superarticulado O 500 para operadores do sistema BRT (Bus Rapid Transit), nos corredores Transoeste e Transcarioca, totalizando 68 unidades –, apenas nos últimos seis meses.

“Ao todo, são 271 ônibus Mercedes-Benz, entre superarticulados, articulados e padrons, circulando no BRT da cidade, o que assegura a qualidade do transporte e da mobilidade urbana para a população e os turistas atraídos pelos megaeventos esportivos que acontecerão na capital”, diz Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing de Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

O superarticulado é uma solução inovadora, totalmente desenvolvida pelo Centro de Desenvolvimento Tecnológico (CDT) da companhia, localizado na fábrica de São Bernardo do Campo, em São Paulo. Com 23 metros de comprimento, quatro eixos e o quarto eixo direcional, o superarticulado facilita as manobras, assegurando conforto e segurança para o motorista e os usuários. “Para os operadores, o veículo garante alta capacidade de transporte, com baixo custo operacional. É rentável ao longo de todo o dia, e pode levar mais de 200 pessoas, dependendo do modelo e da configuração interna do veículo”, explica Barbosa.

Parceria com gestores e operadores
Desde 2012, quando o primeiro corredor entrou em operação, a Transoeste, a Mercedes-Benz tem acompanhado o crescimento do sistema e as novas demandas da população. “Conhecemos de perto as reais necessidades dos usuários, o que é uma referência muito importante para nossos futuros desenvolvimentos”, afirma o diretor.

Assim como acontece na Cidade Maravilhosa, os ônibus da Mercedes-Benz circulam nos principais sistemas de transporte coletivo urbano de grandes regiões metropolitanas, como São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba. No total, a participação é de 70%. A marca está presente ainda em todos os principais BRTs em nível global, como o de Bogotá, na Colômbia, o de Santiago do Chile, do México, da Turquia e da África do Sul. Os sistemas desses países figuram entre os que mais transportam passageiros em ônibus urbanos no mundo.

“Com o BRT, a população passa a contar com mais qualidade de vida, graças ao transporte mais rápido, confortável e seguro, o que resulta em ganhos significativos para a mobilidade urbana”, diz Gustavo Nogueira, gerente de Marketing BRT da área de Marketing de Produto Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Some-se a isso os benefícios ambientais, uma vez que frotas novas consomem menos combustível, emitem menos poluentes e contribuem para a melhoria da qualidade do ar”.

As cidades que escolheram o BRT se apoiam em mais vantagens, como os custos de implantação até dez vezes menores e um prazo até 2/3 menor em comparação com outros modais, como trem e metrô, para transportar a mesma quantidade de passageiros.

Consultoria
A empresa também oferece ao mercado assessoria especializada em transporte de passageiros, por meio de uma equipe focada em sistemas como o BRT, apoiando clientes, órgãos gestores e consultorias. Como exemplo, os profissionais da área deram importante contribuição às etapas de construção e operação do BRT do Rio de Janeiro.

“Há 60 anos, somos líderes de mercado não só em vendas de ônibus, mas também na oferta de produtos e serviços que asseguram eficiência e rentabilidade no transporte de passageiros”, afirma Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Pós-Venda de Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

Em 2016, a Mercedes-Benz do Brasil celebra 60 anos de atividades. “Desde o O 321, de 1958, o primeiro ônibus monobloco fabricado no Brasil, a empresa sempre se manteve na primeira posição em vendas”, ressalta Leoncini. “Nessas seis décadas, produzimos 670 mil ônibus. Isso se reflete na frota circulante nacional: a cada 10 ônibus que circulam no Brasil, 6 levam a estrela de três pontas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados