quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Resultado da Pesquisa de Conhecimento do Usuário do Setor de Transporte Intermunicipal Cearense

Com o objetivo de levantar o perfil do usuário do Serviço de Transporte Rodoviário Intermunicipal quanto ao nível de conhecimento sobre direitos e deveres de cada um, a Ouvidoria da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará – Arce, realizou pesquisa ouvindo 470 pessoas. O levantamento foi feito durante os meses de agosto e setembro, no Terminal Rodoviário João Tomé. O setor de Transporte Público Intermunicipal do Estado do Ceará, regulado pela Agência, atende a uma demanda anual de 60 milhões de passageiros (números relativos a deslocamentos, não a pessoas). Dos 60 milhões, 41,7 usam as linhas metropolitanas, enquanto 18,7 milhões se utilizam das linhas interurbanas. O hábito de registrar reclamação e o grau de conhecimento no tocante ao ente regulador também foram aferidos.

Insatisfação com o Serviço
Questionados sobre quais aspectos do serviço de transporte público lhes traziam maior insatisfação, os usuários pesquisados colocaram a Falta de Segurança como o motivo de maior insatisfação, seguido de Desconforto, Má Conservação dos Veículos e Atrasos. Em menor grau aparecem a Descortesia dos Funcionários das Empresas, as Perdas de Bagagem e a Falta de Acessibilidade. O Item Outros inclui insatisfações como Falta de WIFI, Alta Velocidade e Falta de Banheiro.

Sobre a Arce
Na área de transportes, cabe à Arce fiscalizar, indiretamente, as entidades privadas e públicas envolvidas na prestação do serviço, por meio de auditagem técnica; atender e dar provimento às reclamações dos usuários, decidindo, inclusive, sobre indenizações ou reparações a serem pagas pelas transportadoras; expedir normas regulamentares e responder às consultas de órgãos e entidades públicas e privadas sobre a qualidade do serviço, além de encaminhar ao órgão ou entidade responsável pela aplicação de penalidades a constatação, através de decisão definitiva proferida pela Arce, se for o caso.

Para acompanhar o resultado completo da pesquisa, clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados