quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

O projeto de ampliação do Terminal de Messejana

Por Fortalbus
Muitos usuários de ônibus que utilizam o Terminal de Messejana, já vem percebendo as obras de reforma e ampliação. A previsão de entrega do novo terminal deverá ocorrer junto com o corredor de ônibus BRT Aguanambi que será em Dezembro. Mais de 144 mil pessoas passam diariamente pelo terminal, segundo a Empresa de Transporte urbano de Fortaleza (Etufor). Diante desta reforma que vai impactar o dia a dia do nosso transporte, apresentaremos os detalhes que resultou o projeto desta obra.

A estrutura atual do Terminal de Messejana ainda é composta por duas plataformas de embarque cobertas por uma série de abobadas pré-fabricadas de concreto sobre duas filas de pilares cilíndricos, entre as filas de pilares estão locados equipamentos sanitários, lojas de alimentos e serviços. O terminal possui uma terceira plataforma para desembarque que recebeu recentemente uma cobertura metálica.

A pavimentação das vias internas do terminal é em pedra granítica (calçamento) e piso industrial nas plataformas de pedestre, exceto na plataforma de desembarque que ainda possui revestimento em calçamento, o revestimento dos blocos de serviços e sanitários é em cerâmica e a estrutura de cobertura e pilares em concreto aparente. Ao longo dos tempos e com uma sobrecarga operacional sempre crescente, o Terminal de Messejana vem se mostrando degradado e obsoleto diante da demanda de circulação da cidade.

Vários problemas foram identificados tais como: áreas de embarque insuficientes e consequentemente ineficientes durante o transbordo de passageiros, instalações em estado de conservação degradado, sanitários sem condições higiênicas básicas, problemas de segurança, desconforto físico provocado pela insolação constante, devido a orientação norte/sul do terminal e a ausência de beiral nas cobertas com pé-direito elevado.

Para a devida adequação do Terminal de Messejana à demanda viária da Cidade, o projeto propõe uma intervenção geral, física e operacional, com a elaboração de uma nova estrutura adequada às necessidades do sistema e dotada de condições básicas de conforto e segurança. Foi elaborado um conceito que prioriza o acesso fluido do ônibus desde a ponte da plataforma de desembarque até a plataforma de embarque exclusiva de passageiros, evitando esperas e acúmulos.
O pedestre é valorizado com a adoção de três novas plataformas de embarque e desembarque com orientação leste/oeste que protege os passageiros da incidência solar e elimina a travessia das vias de circulação de ônibus. Os serviços administrativos e de serviços serão posicionados de modo a não interferir com o fluxo e as áreas de espera de embarque, mas estarão em uma área de constante movimentação e de fácil identificação por quem utilizar as instalações do terminal.

Na porção norte do terreno, é proposto um estacionamento com capacidade para 35 (trinta e cinco) ônibus em espera, equipado com área de repouso para motoristas e cobradores e uma área de vistoria de veículos.
A reforma do Terminal se dará dentro das dimensões do terreno, não extrapolando o espaço atual, portanto não afetando diretamente à população residente no local. As obras têm como objetivo aumentar a eficiência do sistema tronco-alimentador do Corredor BR 116/Av Aguanambi, adotando soluções para minimizar ou eliminar os problemas detectados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados