quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Usuários pedem bancos em estações do BRT Expresso Fortaleza

Inauguradas em julho de 2015, as estações que integram o Corredor Expresso Fortaleza, na avenida Bezerra de Menezes, têm gerado críticas de usuários devido à falta de bancos no local. De acordo com Roberto Maia, 82, residente do Lar Torres de Melo, a ausência de cadeiras prejudica idosos que utilizam o equipamento. Ao todo, ao longo da avenida são 11 estações. Nenhuma tem bancos.

“Eu já esperei cerca de uma hora por um ônibus. É muito desconfortável”, afirma Roberto. Ele utiliza a estação do mercado São Sebastião e costuma pegar a linha 026 - Antônio Bezerra/Messejana. Diferentemente das outras estações, o local não é interligado a paradas de ônibus. Além da linha 026, outras duas param somente nas estações do BRT. O que faz com que, mesmo nos locais interligados a paradas, não seja possível esperar sentado em nenhuma delas.

Para Maria de Jesus Ferreira, 73, a espera é desconfortável. “Às vezes eu venho com peso e fica difícil porque não tem onde sentar e nem onde se apoiar”, reclama. A equipe do O POVO esteve no local e acompanhou a espera de 25 minutos até que ela pegasse o ônibus. “Isso em dia de semana, viu”, alertou. “Imagine no fim de semana!”. Em média, os intervalos entre as linhas em horário de pico são entre 10 e 15 minutos. 

A aposentada, que também esperava a linha Antônio Bezerra — Messejana, reclama que, aos domingos, as estações são fechadas. Para ela, que espera o coletivo próximo ao Mercado São Sebastião, a opção é ir até outro ponto de ônibus. 

Etufor
Em nota, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) informou que “a Prefeitura de Fortaleza construiu as estações seguindo os manuais de engenharia de transporte”. O texto diz que “no dimensionamento da largura das estações para corredores exclusivos de transporte não se projeta a implantação de bancos, pois os intervalos de um ônibus para outro e o tempo de espera dos usuários são estimados em 4 a 5 minutos, inviabilizando a implantação dos bancos”.

Outros fatores citados pela empresa para justificar a ausência de bancos são a acessibilidade e mobilidade nas estações. 

Vereador quer que BRT seja reavaliado para que estações tenham bancos 
O vereador Guilherme Sampaio submeteu ao plenário da Câmara de Vereadores requerimento para que seja reavaliado o projeto das estações do BRT. O objetivo é que seja examinada a possibilidade de implantação de bancos nas 11 estações do Corredor Expresso Fortaleza, da avenida Bezerra de Menezes. 

Nenhuma das 11 estações possui bancos. Na estação do mercado São Sebastião, no Centro, não há ligação com paradas de ônibus. O projeto das estações não prevê a implantação de bancos, afirma a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), "pois os intervalos de um ônibus para outro e o tempo de espera dos usuários são estimados em 4 a 5 minutos". A acessibilidade e a mobilidade nas estações também são apontadas pela Etufor para a não implantação.

O vereador diz compreender o argumento da empresa, já que o conceito do BRT é proporcionar um transporte rápido. No entanto, na prática, a demora é maior que prevê o projeto, reconhece Guilherme, o que torna "pertinente" a demanda, principalmente, a idosos. 

Em média, os intervalos entre as linhas em horário de pico são de 10 a 15 minutos. No entanto, registramos relatos de esperas de até uma hora. A reportagem acompanhou a usuária Maria de Jesus Ferreira, de 73 anos, que esperou 25 minutos para que o ônibus chegasse. "Isso em dia de semana, viu", contou. "Imagine no fim de semana!". 
Com informações: Eduarda Talicy/Jornal O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados