terça-feira, 20 de junho de 2017

A última aquisição da Autoviária São Vicente de Paulo Ltda

Por Fortalbus
É difícil contar a história do transporte de passageiros em Fortaleza sem citar a importância que a Autoviária São Vicente de Paulo teve. Fundada em 1951, por Carlos de Albuquerque Lima, a Autoviária São Vicente de Paulo foi e sempre será lembrada como uma das maiores empresas urbanas que a capital cearense já teve, servindo os fortalezenses por mais de quatro décadas.
Última aquisição da Autoviária São Vicente de Paulo em 1999, antes da cisão da empresa
No início, a empresa obteve a concessão para explorar as linhas do Pirambu e Tirol, dois bairros de Fortaleza onde faltava de tudo, até ruas para os ônibus trafegarem. Com a prosperidade dos negócios, a Autoviária chegou à condição de proprietária da linha Aldeota, concessão ganha legalmente, mas teve que abrir mão da importante conquista empresarial devido à concorrência desleal, segundo o fundador Carlos Albuquerque.

Em 1979, a empresa deu um importante salto, comprando a Viação Cruzeiro, passando assim a servir toda a área de Messejana, onde nessa época sua frota já somava um total de 120 veículos. No seu auge, foi considerada a maior empresa de transporte coletivo, transportando mais de 3 milhões de passageiros ao mês, operante em 43 linhas com cerca de 220 veículos e 2 garagens. 
Autoviária renovando sua frota
Em 1999, a Autoviária São Vicente de Paulo realizaria a sua última aquisição de veículos, comprou 40 unidades do modelo Urbanuss da Busscar. Os veículos de chassi Mercedes-Benz OF-1721, se destacavam por seu tamanho e suas três portas largas. Com a chegada desses novos ônibus a Autoviária padronizou as operações das linhas Antônio Bezerra/Messejana, Paranjana 1 e 2, além da Av. Borges de Melo 1 e 2.

Com a morte do fundador da empresa, a Autoviária São Vicente de Paulo Ltda sofreu uma cisão dando origem às empresas Rotasol e Rota Expressa, e posteriomente com o surgimento das empresas Vega e Terra Luz que continuou sob o comando de seus descendentes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados