sexta-feira, 30 de junho de 2017

Sistema Integrado de Transportes em Fortaleza completa 25 anos de muitos êxitos

Por Fortalbus
Fortaleza completa amanhã 25 anos de implantação do SIT, Sistema Integrado de Transportes, que implantado com certo pioneirismo na região Norte/Nordeste, representou um grande avanço no transporte público da capital cearense. O sistema passou a proporcionar integração física e tarifária através da inauguração dos primeiros terminais integrados no dia 1º de julho de 1992. O Sistema Integrado de Transportes (SIT-FOR) desde o inicio sempre caracterizou por uma operação do tipo radial e tronco-alimentadora. 

Esse Sistema atualmente é constituído, basicamente, por um conjunto de terminais de integração (fechados), estrategicamente localizados em bairros periféricos e terminais abertos no Centro da Cidade, um conjunto de linhas troncais ligando esses terminais, além de um conjunto de linhas alimentadoras, circulares e inter-bairros, integradas nos terminais.

No inicio, a tarifa unificada e a possibilidade de pegar mais de um ônibus com o mesma passagem foram os maiores benefícios do SIT Fortaleza, que chegou trazendo outras mudanças importantes, como a padronização visual dos veículos, aquisição de veículos dotados de três portas com motorização traseira, dianteira e central do tipo “padron” e embarque pela porta dianteira. Outra mudança foi a maneira de arrecadação das empresas, que através da câmara de compensação, passou a ter o repasse de recursos recolhidos na operação de linhas mais lucrativas para as permissionárias das menos lucrativas.

O investimento para a implantação do projeto e a aquisição de novos veículos foi garantido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) mediante o atendimento das especificações técnicas exigidas. O poder público entrou com o projeto e a construção de seis terminais no valor total aproximado de US$ 6 milhões. O investimento das empresas privadas, na compra de cerca de 300 ônibus pesados, somou US$ 27 milhões. Os empresários tiveram um ano de carência para o pagamento da dívida.

Desde que foi implantada a padronização de pintura nos ônibus da cidade de Fortaleza, os usuários da capital cearense mudaram o jeito de identificar e pegar o seu ônibus. Isso foi há mais de vinte anos, em 1992, já faz tanto tempo que para muitos, difícil lembrar as cores e formas das antigas empresas da época de infância ou adolescência.

Deixando de lado as ricas cores e desenhos de cada empresa ostentava no passado, relembramos a primeira padronização da cidade, desenvolvida especialmente para o SIT – Sistema Integrado de Transporte, onde a proposta em classificar cores específicas para os ônibus alimentadores, troncais e circulares.

Como as linhas passaram a ser baseadas no sistema tronco-alimentado, as três pinturas tinham o propósito de identificar cada tipo de percurso, onde os troncais eram representados pelos ônibus de cor azul, os circulares pela cor laranja e os alimentadores por verde. Entretanto, a aplicação de veículos em suas respectivas linhas não funcionou ao pé da letra, e com o passar dos anos, apenas o layout azul permaneceu. A famosa pintura azul e vermelha, do tipo troncal, tornou-se o padrão oficial dos anos 90.

O sistema foi se organizando aos poucos, além dos terminais de Messejana e Antônio Bezerra, foram inaugurados em 1993 outros quatro terminais de integração, Papicu em janeiro, Lagoa em julho, Parangaba em agosto e Conjunto Ceará em setembro. No mesmo ano, foi realizado testes com o equipamento que fazia a leitura do código de barras das carteiras de estudante, mais tarde implantado em todos os veículos do SIT.

O SIT deixou a frota de ônibus mais nova, reduzindo a idade média de 4,62 anos em maio de 1992 para 3,66 em 1993. Com a integração, reduziu substancialmente o número de passageiros catracados, ou seja, aqueles que pagam tarifa, onde boa parte dos passageiros passou a pagar apenas uma tarifa diária para cada deslocamento. A velocidade média na linha troncal-paradora e na troncal-expressa aumentou de 15 km/h para 19 km/h.

Em 1995, o embarque voltou a ser realizado pela porta traseira. Em novembro do mesmo ano, foi inaugurado o sétimo e último terminal, o Siqueira. Além dos sete terminais integrados fechados, existem dois abertos não integrados localizados no centro da cidade, Praça Coração de Jesus e Praça da Estação.

A partir do ano 2000, o azul dos ônibus passou a compor o cenário urbano de Fortaleza, tonalidade suave e que faz lembrar o céu de nossa cidade onde o bom clima litorâneo predomina na maior parte do ano. As empresas Via Urbana, Fortaleza e São José foram as primeiras a renovar suas frotas com veículos exibindo a nova pintura padrão.

Iniciado como projeto piloto em julho de 2007, a Integração Temporal surgiu com o objetivo de otimizar o tempo e reduzir os gastos com viagens dos passageiros. Ao invés de precisar ir até um terminal de integração para trocar de ônibus, o usuário passou a trocar de veículo nas próprias vias, com a garantia de que não precisará pagar pelo segundo ônibus.

A partir de 2008, toda a frota passou a ser monitorada pela Etufor através do Global Positioning System (GPS). O sistema auxilia a administração municipal no gerenciamento do transporte público, fornecendo informações diárias sobre o desempenho dos ônibus nas ruas da cidade. O sistema integrado de Fortaleza conta com quase a totalidade de seus veículos equipados com plataforma elevatória para deficientes.

Desde 2013, as opções de integração foram ampliadas com o Bilhete Único, que permite que o passageiro utilize quantas linhas precisar, realizando embarque em qualquer um dos cerca de 5 mil pontos de parada espalhados pela cidade, ao custo de uma única tarifa, no período de duas horas. Além disso, continuam em operação os 7 terminais fechados integrados e 2 terminais abertos não-integrados. 

Em 2014, depois de 14 anos, os ônibus da capital cearense começaram a ganhar novas cores, somando-se ao tradicional azul presente na frota desde o ano 2000. A nova pintura marcou o início de uma nova etapa no transporte de Fortaleza, pois trouxe consigo não só uma nova comunicação visual, mas também mudanças no próprio equipamento com a aquisição de veículos do tipo Padron e a volta dos ônibus articulados.

A atual identificação visual dos ônibus de Fortaleza, basicamente ostenta linhas horizontais e a representação de um circulo com seu respectivo consórcio inserido ao centro, possui a cor branca como predominante, além do cinza e a cor azul pantone. Apesar do retorno da cor branco, na frente do novo layout destacou-se a segunda cor, facilitando a identificação dos usuários. Pela primeira vez, desde que foi instituída a padronização em Fortaleza, a máscara negra entre as janelas foram aplicadas, dando um aspecto mais contínuo e harmonizando com a própria pintura.

Em setembro de 2014, o novo Terminal Antônio Bezerra foi inaugurado, após a obra de ampliação e reforma, a área do terminal passou a ter mais que o dobro do espaço original, que antes era de 12 mil metros quadrados, passando para 29 mil metros quadrados. Nesse período os demais terminais de integração começou a passar por reformas, dando mais qualidade aos usuários que fazem uso desses equipamentos. 

A partir do final de 2014, a Prefeitura de Fortaleza começou a cobrar a obrigatoriedade de todas as operadoras do sistema de transporte coletivo adquirir lotes de ônibus com ar condicionado em suas renovações de frota. O Programa de Implantação do ar condicionado em 100% dos ônibus de Fortaleza deu um prazo até 2020, para que toda a frota de coletivos da cidade tenha esse dispositivo de conforto. Posteriormente tantos os ônibus como os terminais de integração começaram a disponibilizar um sistema de internet gratuita.

Com a implantação do Corredor Expresso Fortaleza ocorrida em 2015, a interligação dos terminais Antônio Bezerra e Papicu passaram a contar com ganhos de velocidade operacionais e a consequente redução dos tempos de viagens. Com a nova operação, as linhas de ônibus passaram a utilizar somente a faixa expresso do corredor ao lado do canteiro central, em algumas linhas sendo efetuado o embarque e desembarque, pelas portas do lado esquerdo dos ônibus articulados e padrons nas estações BRT, que possuem sistemas de automação que viabilizam as portas automáticas de maneira sincronizada com a chegada e saída dos veículos.

Atualmente mais de 1,2 milhão de embarque são registrados por dia nos coletivos do sistema de transporte em Fortaleza. Ao todo, o sistema trabalha, em dias úteis, com 269 linhas de ônibus regulares e 19 linhas complementares (vans e micro-ônibus), que em 2014 também passaram a realizar integração nos terminais. A frota operante é de 2.005 veículos e 265 Vans, variando de mês para mês, em função da flutuação esperada do número de passageiros. Já a idade média é de 4,3 anos, sofrendo alteração conforme a entrada e saída de veículos do sistema.

4 comentários:

  1. No início dava gosto, tinha padron de verdade. Hj só restaram os 8 articulados. Saudade do ronco dos volvo e Scania. Era moleque e ficava vidrado. Enfim, hj só tem dianteiro.

    ResponderExcluir
  2. Um início de SIT que até hoje deixa saudades. Principalmente pelo o fato de que contávamos com ônibus PADRON de verdade, como motor central e traseiro. Ao contrário de hoje, que presenciamos ônibus "padron" de araque, com motor dianteiro.

    ResponderExcluir
  3. Eram pra existir mais ônibus articulados em algumas linhas de Fortaleza, prometeram colocar na linha 045, mas, não passou de promessas. Tamu longe de ser uma Curitiba.

    ResponderExcluir
  4. Saudades de andar nos carros Scania da Cialtra, Salete , Siará Grande entre outras,era maravilhoso ouvir aqueles roncos ...

    ResponderExcluir

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados