quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Uma saudosa viagem por dentro da história da TransCeará

Por Fortalbus
Em 1997 surgia a TransCeará Transporte e Turismo Ltda em Juazeiro do Norte, uma empresa rodoviária com operação intermunicipal. Nascida de uma cisão com a Viação Pernambucana, também de Juazeiro do Norte, onde todas as linhas intermunicipais e urbanas que a Viação Pernambucana operava dentro do Ceará foram transferidas para a TransCeará, dando assim o início de suas atividades.

No começo de suas operações, a TransCeará Transporte e Turismo Ltda começou nas linhas urbanas e posteriormente recebeu as linhas rodoviárias, além da grande parte dos veículos de chassi Volkswagen que faziam parte da frota da Viação Pernambucana. Neste repasse, a TransCeará manteve os mesmos prefixos, incluindo apenas o ano de fabricação dos veículos como parte da numeração.

A história da TransCeará é a prova que não era preciso operar linhas com acesso as capitais para vencer, com essa filosofia a empresa passou a dedicar suas operações somente no transporte regional, com linhas partindo sempre de Juazeiro do Norte, a cidade da fé para muitos romeiros de Padre Cícero. Com o passar dos anos, a empresa cresceu timidamente, sempre mantendo seus horários e fazendo pequenas renovações na frota. 

Sua frota tinha uma média de 40 veículos, e suas operações era responsável pelas ligações das cidades de Juazeiro do Norte e Crato para os destinos cearenses de Crateús, Assaré, Aiuaba, Saboeiro, Parambu, Orós, Antonina do Norte, Arneiroz, Tarrafas, Cariús, Campos Sales, Jucás, Iguatu, Tauá, Lavras da Mangabeira, Jardim, Penaforte, Acopiara, Mombaça, Pedra Branca, Independência, Nova Russas, Ipueiras, Ipú, Guaraciaba do Norte, São Benedito, Ibiapina, Ubajara, Tianguá, Viçosa do Ceará até Padre Vieira divisa com o Estado do Piauí.

Por conta de suas operações, a TransCeará optou em grande parte de suas linhas o uso de ônibus com motor dianteiro, diante da demanda de passageiros que embarcavam as margens das rodovias. Por conta do famoso pinga pinga, a empresa adotou veículos do tipo Caio Apache Vip Rodoviário, Busscar El Buss 340, Comil Campione 3.25 e 3.45, Comil Versatile, além do Mascarello Roma 330.

Em 2003, a TransCeará vende a linha Iguatu x Juazeiro do Norte para a Expresso Guanabara, que naquele momento já operava linhas ligando Fortaleza ao Iguatu, com essa aquisição permitiu a Guanabara fazer uma conexão direta com Juazeiro do Norte. 

Essa conexão fez com que a Guanabara conquistasse 60% do fluxo de passageiros entre Fortaleza x Juazeiro do Norte, deixando as empresas Viação Rio Negro e Rápido Juazeiro numa completa saia justa e tendo que investir pesado na frota para competir de igual por igual.

Outra venda ocorrida, foi as linhas que a TransCeará explorava no serviço de transporte de passageiros no perímetro urbano do Crato-CE, passando as operações para a Empresa Transfreire, que continua atuando até hoje. Nesse momento a TransCeará passou a ingressar no setor de fretamento, turismo e transportadora de cargas, através da Três S Turismo.

A grande dificuldade vivida na trajetória da Transceará, foi a massiva concorrência com o transporte clandestino operado por vans e carros de passeio, que acabou conquistando grande parte de seus passageiros. Com isso, a empresa não encontrou mais viabilidade econômica em manter toda aquela estrutura e começou a diminuir a quantidade das partidas.

Com uma operação limitada, a TransCeará continuou atendendo suas linhas, mesmo sem apresentar muita rentabilidade operacional. Até que em 2009, o Estado do Ceará resolve licitar todas as linhas do transporte intermunicipal, onde grande parte das linhas regionais que eram atendidas pela TransCeará foram repassadas para o transporte complementar de passageiros, por meio de cooperativas. As linhas de longa distância ficaram dentro das bacias 6 e 7, na qual teve a Expresso Guanabara como vencedora.

Após oito anos prestando serviços de transporte a população sul cearense, a TransCeará encerrou suas operações em Novembro de 2009, mas deixou registrado sua participação na evolução de muitos municípios da região, seu legado será sempre lembrado por aqueles mais nostálgicos que pesquisam o setor de transportes de passageiros na capital da fé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados