quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Caio Induscar prevê aumento de até 10% na produção em 2018

A fabricante de carrocerias para ônibus Caio Induscar deve encerrar o ano com um crescimento de 7% a 10% na produção em relação ao ano passado, quando foram fabricadas um total de 4.820 unidades da marca. De janeiro a julho, a produção da Caio somou 2.106 carrocerias. Segundo Maurício Lourenço da Cunha, diretor industrial da Caio, esse volume é cerca de 15% superior a igual período do ano passado. O crescimento, porém, deu-se de forma instável e foi mais expressivo nos primeiros três meses do ano. 

As exportações representaram perto de 5% da produção do primeiro semestre, quando foram vendidas 304 carrocerias para o exterior, e devem aumentar nos próximos meses. Isto porque a empresa vai entregar as unidades encomendadas em um grande contrato fechado com a Nigéria, de 500 ônibus com chassis Mercedes-Benz, o que deve elevar a participação das exportações para perto de 15% da produção. São 250 micro-ônibus com carroceria F2400 com chassi LO 915 e 250 urbanos modelo Millennium BRT, com chassis O 500 U, que serão usados no transporte de passageiros na cidade de Lagos, a mais populosa daquele país. As primeiras unidades da encomenda, feita pelo Grupo Coscharis, já partiram e a previsão é de entrega total até o final deste ano.

“Estou mais esperançoso com 2019, coisa que não estava há três anos”, exclama Cunha. Ele revelou também que o fato de acionistas da Caio terem adquirido e estarem reerguendo a antiga fábrica da Busscar, com sede em Joinville (SC), já está abrindo portas para a Caio no Sul do país.

Cunha diz que torce para que a licitação para operação do transporte público de São Paulo, suspensa recentemente, seja retomada em um ambiente menos político, já que o país está às vésperas da eleição presidencial. Historicamente, a Caio sempre foi muito forte em são Paulo, com participação superior a 80% do mercado de ônibus da capital, e o executivo destaca a importância de que o processo envolva uma discussão mais técnica, “pensando no usuário e na viabilidade econômica de um contrato que pode ser de 15 a 20 anos”.

A encarroçadora aproveitou a Lat.Bus – Feira Latino-Americana do Transporte, realizada em São Paulo, para expor seus produtos mais recentes e, principalmente, alguns direcionados a soluções de mobilidade, como a carroceria Millennium com motor elétrico da BYD. “Temos uma gestão forte, consciente de sua responsabilidade em sempre oferecer ao mercado produtos de vanguarda, antecipando tendências e necessidades. O resultado dessa dedicação é o nosso share de, aproximadamente, 60% no segmento, em 2017. Nos sentimos honrados e selamos nosso compromisso em continuar oferecendo as soluções que fazem a diferença na mobilidade urbana”, declara Cunha.  

Em seu estande na Lat.Bus, a Caio expôs os urbanos Millennium BRT Superarticulado, que tem tomado as ruas da cidade de São Paulo; Millennium motor traseiro, nas versões padron e elétrico; Apache VIP, na versão 15 metros; e o micro F2400. O Millennium BRT Superarticulado, na versão SPTrans, acomoda 175 passageiros, mas pode ser configurado para até 200 passageiros, com acessibilidade. Conta com tomadas USB para carregamento de equipamentos eletrônicos e wi-fi. O Millennium motor traseiro, nas versões padron e elétrico, está em sua quarta geração, também é bastante usado na capital paulista, tem 13,45 metros e capacidade para 90 passageiros. É equipado com tomadas USB, ar-condicionado e vidros colados na cor fumê. O Millennium apresentado na versão elétrica possui baterias com autonomia de, em média, 250 km, e capacidade de reverter a energia cinética em elétrica nos momentos de frenagem dos ônibus.

O modelo Apache VIP, na versão 15 metros, é o carro-chefe da Caio, está em sua quarta geração, conta com ar-condicionado e janelas coladas com vidros na cor fumê, itinerários e iluminação interna em Led. O último eixo é direcional, o que facilita a operação do condutor. Tem capacidade para 100 passageiros, inclui rampa móvel para total acessibilidade e é indicado para linhas com grande demanda de passageiros. Já o micro F2400 foi projetado para facilitar a manutenção e reposição de itens, com valores mais acessíveis. Foi concebido com novos materiais que garantem leveza e melhor acabamento, como o polipropileno, aplicado em vários componentes internos. O conjunto do painel e cofre do motor com novo design, dão maior conforto térmico e acústico aos passageiros. A base que reveste todo o patamar do motorista minimiza a entrada de calor e ruídos e o novo design facilita o acesso do condutor aos instrumentos. A central elétrica, embutida na base do painel, dá melhor acesso à manutenção.

Simonetta Pucciarini Cunha, diretora de marketing do Grupo Caio, destaca que os ônibus da marca usam cores, imagens e grafismos que tornam o salão interno um local agradável e com um toque de modernidade. “Os revestimentos inovadores, produzidos pela técnica de arte digital, são resultado de estudos realizados com base na harmonia de cores e os sentidos que as mesmas ativam”, complementa.
Com informações: Future Transport

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.

© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados