Header Ads

ad

Empresa de ônibus urbano anuncia encerramento após 60 anos de atividades

A Transportes Coletivos Grande Londrina (TCGL), que atua no transporte coletivo de Londrina há 60 anos, informou, nesta sexta-feira (30), que não vai participar da nova licitação para a concessão do serviço.

Atualmente, a TCGL é uma das duas empresas que operam o sistema de transporte coletivo da cidade que fica no norte do Paraná. A licitação foi aberta na última segunda-feira (26) e prevê a prestação dos serviços por 15 anos.

Em coletiva realizada durante a tarde, a empresa criticou vários pontos do edital – que prevê abertura dos envelopes dos interessados em 26 de dezembro deste ano. O contrato atual termina em 19 de janeiro de 2019.

A TCGL alega que o retorno financeiro não será compatível com as obrigações de investimentos previstas no edital, considerando, inclusive, as tarifas estabelecidas, que foram de R$ 3,9957, para a área 1, e R$ 4,0889, para a área 2.

No entanto, a TCGL afirmou que não descarta a possibilidade de repensar a decisão caso não apareçam interessados no contrato e sejam feitas mudanças no edital.

Segundo a empresa, a prefeitura e a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) foram comunicados sobre a decisão na quinta-feira (29). Procurada, a CMTU informou que não vai se manifestar nesta sexta-feira. Já os funcionários foram avisados sobre o fim das atividades nesta sexta.

Contrato atual
Durante a entrevista, a empresa afirmou que, atualmente, os custos do sistema de transporte, do ponto de vista técnico, não são totalmente cobertos pelo valor da tarifa e que vai fechar o ano com prejuízo de R$ 11 milhões.

Hoje, a tarifa em Londrina é de R$ 3,95, mas conforme a planilha de custos, a tarifa deveria ser de R$ 4,15, em condições normais, e de R$ 4,55, depois que a prefeitura cortou o subsídio da passagem para estudantes.

A empresa que explora o transporte coletivo na cidade há 60 anos, está há 15 sob nova administração.

A TCGL tem 337 ônibus, emprega mais de 1,6 mil pessoas e é responsável pelo transporte em 85% do território da cidade.

Conforme informações divulgadas na coletiva, o edital de licitação dá o prazo de dois meses para as novas empresas assumirem. Como o contrato atual termina em 19 de janeiro, a TCGL disse que pode trabalhar nesse período de transição, desde que haja reajuste na tarifa.
Com informações: RPC

Nenhum comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.