Header Ads

ad

Empresas de ônibus em Fortaleza dizem bancar mudança de trocador para motorista

Por Jocélio Leal
Em meio aos protestos dos trabalhadores do setor, por conta da implantação das catracas sem cobrador, as empresas associadas ao Sindiônibus ampliarão o programa de financiamento de retirada de CNH aos cobradores que desejarem se tornar motoristas. 

O Sindiônibus diz que a prática já vem sendo adotada há mais de um ano e atualmente o sistema de transporte de Fortaleza já conta com mais de um mil ex-cobradores atuando na função de motorista.

A Federação das Empresas de Transporte (Fetrans), via Senat,  também adotou programa voltado para a formação no início deste ano. Foi o primeiro programa de formação de motoristas exclusivo para cobradores, que inclui o custeio total da CNH.  

Segundo o Sindicato, 175 cobradores ingressaram na primeira turma e a previsão é que mais turmas sejam iniciadas em 2019. Não informou quantas.

Em nota, o Sindiônibus nega ter havido demissões em função da implantação do serviço sem cobrador. O sindicato dos trabalhadores, o Sintro, fala em 100 desligamentos, supostamente motivados pelo novo sistema. 

“O Sindiônibus pesquisou entre suas empresas e não há demissões ocorridas em função do projeto. Há uma rotatividade histórica próxima a 2% na função de cobrador, por questões corriqueiras como funcionários que recebem outra oportunidade ou incompatibilidade com horários e regras”, afirma.

Diz o sindicato dos patrões que o Sintro recusou convite para elaborar um plano comum com o objetivo de buscarmos mais alternativas para ajudar a encontrar novos caminhos para os que hoje são cobradores e que podem vir a deixar a profissão.

Nenhum comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.