Header Ads

ad

Corredores expressos de ônibus são aposta para agilidade no deslocamento em Fortaleza

Já são dois os corredores expressos exclusivos para ônibus em funcionamento em Fortaleza. Com a entrega das obras da avenida Aguanambi, começou a funcionar parte do corredor que ligará a Messejana ao Centro, via BR-116. Soma-se à estrutura que liga os terminais de Antônio Bezerra e Papicu. O sistema é apontado como meio para reduzir o tempo de deslocamento dos usuários dos ônibus, tornando o transporte público mais atraente e ajudando ainda na redução de engarrafamentos e emissão de gases poluentes.

Segundo a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), o corredor expresso proporcionou aumento de 12 km/h para 18,32 km/h na velocidade dos ônibus do trajeto entre os terminais do Papicu e de Antônio Bezerra ? ganho de 52%. Já do Antônio Bezerra ao Centro, através do corredor exclusivo da avenida Bezerra de Menezes, a velocidade dos ônibus registra ganho de 90,7%, indo de 10,5 km/h a 20,03 Km/h.

O levantamento, segundo a Prefeitura, considerou o tempo e a velocidade média operacional de viagens da linha Antônio Bezerra/Papicu/Antônio Sales (222), nos sentidos ida e volta, no intervalo de 4 às 23 horas. A expectativa é de que o mais novo corredor, na Aguanambi, proporcione redução de, aproximadamente, 50% no tempo de viagem dos coletivos.

Para o vice-presidente da Etufor, Antônio Ferreira, é preciso reforçar e aumentar o número de corredores expressos e de Bus Rapid Transit (BRT). "As cidades brasileiras não suportam tanto carro. Uma cidade como Fortaleza tem mais de 1,1 milhão de carros! É uma questão de matemática, não há espaço para tanto carro".

De acordo com ele, estudo mostra que cerca de 6% dos usuários de BRT no Rio de Janeiro trocaram o carro pelo sistema, que possui ônibus maiores que os convencionais e possuem portas que permitem o desembarque pelo canteiro central, onde ficam as estações. Os ônibus articulados que atuam no BRT podem transportar até 180 passageiros.

Seis linhas atuam no corredor da Bezerra de Menezes, que possui 11 estações. Na avenida Aguanambi são seis as estações e está previsto o funcionamento de nove linhas ? atualmente duas já operam.

As obras na Aguanambi devem se interligar à requalificação viária da BR-116 para a conclusão do corredor expresso Messejana/Centro. Estações devem ser implantadas até o km 12 da rodovia, agora municipalizada.

Ferreira afirma que o sistema, em funcionamento desde 2015 na Bezerra de Menezes, já tem benefícios reconhecidos pela população. Ele cita que 77% dos usuários do corredor afirmam que a mobilidade urbana melhorou após a implantação do sistema, conforme pesquisa da consultoria WRI Brasil Cidades Sustentáveis. "E 79% disseram que vai melhorar ainda mais".

Além dos corredores expressos, Fortaleza ainda dispõe de 107,4 km de faixas exclusivas para ônibus, disponíveis em 36 avenidas.
Com informações: O Povo

Nenhum comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.