Header Ads

ad

Depois de enfrentar queda nas vendas, Marcopolo cresce 132,5% em 2018

Por Roberto Hunoff 
A forte retomada do mercado interno, em 2018, foi determinante para o desempenho positivo da Marcopolo em 2018. A empresa registrou, no acumulado do ano passado, um lucro líquido de R$ 190,9 milhões, o que representa um aumento de 132,5% em relação aos R$ 82,1 milhões apontados em 2017. No quarto trimestre de 2018, a Marcopolo teve ganho líquido de R$ 72 milhões, valor 93% superior aos R$ 37,3 milhões registrados no mesmo período do ano anterior. 

A empresa apurou receita líquida consolidada de quase R$ 4,2 bilhões, incremento de 46% sobre o exercício anterior. As vendas internas de ônibus avançaram 76,5%, resultando em receita de R$ 1,9 bilhão, enquanto as exportações a partir do Brasil apuraram alta de 36%, para R$ 1,36 bilhão. A fabricante de carrocerias de ônibus ainda consolidou receita de R$ 921 milhões em operações no exterior, com aumento de 16,5%. 

Para atingir este resultado, a organização comercializou total de 15.596 unidades, incremento de 48%. Destas, 10.239 ficaram no Brasil, em alta de 83%. As exportações somaram 3.794 ônibus, avanço de 14,6%. As operações localizadas no exterior registraram venda de 2.072 unidades, recuo de 6%. O resultado decorre de declínios no México, de 20%, para 1.020 ônibus, e na África do Sul, de 19%, para 287 unidades. Alta de 34,5%, com 542 unidades, foi registrada na Austrália. Também foi positivo em 27,5% o desempenho da fábrica chinesa, com 223 ônibus. 

A Marcopolo produziu, entre as plantas brasileiras e do exterior, 16.103 unidades, incremento de 48,3%. No Brasil foram 14.212, evolução de 60%. A empresa manteve a liderança de mercado nacional, respondendo por 56%, alta de quase oito pontos em relação ao consolidado em 2017. O melhor resultado foi no segmento de urbanos, que avançou quase 19 pontos, para 49% da produção nacional. Nos rodoviários, a participação é de 68%, em linha com 2017, e 55% em micros, queda de três pontos. A unidade de negócios Volare cresceu 52%, com produção de 2.676 unidades, das quais 522 seguiram para o exterior, alta de 44%. Para efeitos de participação na produção total brasileira, as unidades Volare não são computadas. 

A empresa apurou Ebitda de R$ 362 milhões, incremento acima de 200%, e margem de 8,6%, mais do que o dobro de 2017. O lucro apurado foi de R$ 190,9 milhões, alta de 132,5%. A Marcopolo fechou o ano com endividamento financeiro líquido de R$ 966 milhões, acima do valor de R$ 783 milhões de 2017. Do total, somente R$ 550,4 milhões são do segmento industrial. A diferença de R$ 415 milhões provém das atividades do Banco Moneo. 

Em 2018, a empresa investiu R$ 167 milhões, com destaque para compras de máquinas e em melhorias nos prédios. Encerrou com total geral de 19.743 colaboradores, no Brasil e no exterior, elevação de 31% sobre o ano anterior. No Brasil são 10.236 vagas e somente a controladora emprega 7.410 pessoas. Em 2017, os números eram 8.312 e 6.255, respectivamente. 

Um dos objetivos da diretoria para 2019 é aumentar a lucratividade. Nesta direção, confirmou o início do projeto denominado Segunda Onda de Gestão. São ações de curto prazo focadas em temas como ampliação do horizonte de vendas, aumento da eficiência logística, redução de custos com materiais e aumento da performance industrial. O objetivo é alcançar índices de lucratividade iguais aos apurados no período pré-crise. 

Nenhum comentário

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.