Header Ads

ad

Saída da Avianca impulsiona viagens de ônibus no Ceará

O fim das operações da Avianca no Ceará provocou uma reacomodação de demanda não apenas no mercado aéreo, mas também no transporte rodoviário. A Expresso Guanabara, principal operadora do trecho de ônibus Fortaleza-Juazeiro do Norte, já aumentou de 16 para 19 o número de viagens diárias, com reforço de cinco rotas extras aos fins de semanas, e deve chegar a 20 até o Dia das Mães. Embora em menor grau, outras empresas também perceberam crescimento da procura por viagens para São Paulo.

Esse movimento não é tão nítido em um primeiro olhar no vaivém de pessoas no Terminal Rodoviário Eng. João Thomé, em Fortaleza. Pelo menos foi o que constatamos na manhã do último sábado, 4, quando os guichês registravam poucas filas. Mas quem está acostumado a fazer estas viagens já percebe a diferença.

O representante comercial de Juazeiro do Norte, Francisco Brito, 43 anos, por exemplo, por conta do trabalho, precisa constantemente vir à Capital. Sempre deu preferência a fazer o trajeto de ônibus, por conta do preço, embora algumas vezes já tenha ido de avião. Mas diz que agora está tendo dificuldade maior de encontrar bilhetes aéreos. Isso porque o trecho Fortaleza-Juazeiro do Norte pela Avianca foi cancelado e as viagens que duravam 1 hora pelo trajeto chegam a 18 horas.

"Com este problema da Avianca, está muito dispendioso para quem mora no Cariri vir a Capital. Agora, por exemplo, a gente não consegue mais passagem de ônibus de última hora, tem que se programar com antecedência por causa da demanda", afirma o representante comercial, Francisco Brito, de 43 anos.

O gerente comercial da Expresso Guanabara, Roberto Vasconcelos, confirma que desde meados de abril, quando se intensificaram os cancelamentos de voos da Avianca, a empresa vem observando um crescimento no volume de passageiros.

"O principal reflexo foi sentido na linha de Juazeiro do Norte. No início, não atribuímos diretamente porque na Semana Santa, naturalmente, o fluxo cresce. Mas, mesmo no último fim de semana de abril, que historicamente tem um movimento fraco, neste ano, tivemos um aumento em torno de 20% da demanda".

Por conta da procura, a empresa vem elevando o número de movimentos diários. "A nossa ideia até o Dia das Mães é aumentar a oferta regular de assentos em mais 160 lugares. E no fim deste mês, quando deve ocorrer um concurso no município, vamos colocar 13 horários extras para atender a este público".

De olho neste nicho de mercado, ele diz que a empresa também usa mais ônibus double deck (dois andares) com leito executivo, que oferecem maior conforto à um preço maior, além de pleitear junto à Agência Reguladora do Ceará (Arce) algumas rotas com encurtamento de paradas para reduzir o tempo de viagem. Hoje, por exemplo, dos cinco trechos Fortaleza-Recife, um já é expresso, sem paradas em Mossoró (RN) e João Pessoa (PB), o que reduz o tempo de viagem de 13 para 11 horas, em média.

O bilheteiro da Viação Itapemirim, Antônio Estevão, diz que desde a semana passada cresceu a procura de passageiros interessados em viagens com destino a São Paulo e Rio de Janeiro. Na Gontijo, há alta na demanda, sobretudo, para São Paulo. "Principalmente para viagem em cima da hora, de gente que teve voo cancelado e não conseguiu remarcar no prazo que gostaria", observa o bilheteiro, Robério Batista.
Com informações: O Povo

2 comentários:

  1. A diroria da guanabara desde o inicio nao falam a verdade passageiros de avia nao e o mesmo de onibus

    ResponderExcluir
  2. Era a hora certa de lançar o leito cama. Não dá para fidelizar passageiro do aéreo com 12 poltronas quase-leito.

    ResponderExcluir

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.