Header Ads

ad

A contribuição da Viação Itapemirim para o setor de cargas no Brasil

Por Fortalbus
A Viação Itapemirim S/A está ligada às raízes brasileiras de forma marcante, unindo este país em todas as direções e sentidos há mais de 65 anos. A Itapemirim através de seus ônibus, caminhões, forgões e até aviões soube construir uma história de sucesso em vários ramos de atuação, tendo como foco principal o transporte de passageiros por ônibus.

Uma empresa que ao mesmo tempo soube conservar suas tradições, cores e princípios, foi responsável por várias inovações em transporte de cargas, estando presente em todo o território nacional, nas estradas, no campo e na cidade, onde conseguiu construir ao longo de sua história uma relação de amizade com seus clientes.

Um dos vários momentos importantes na história da Viação Itapemirim está no segmento de cargas, onde a Empresa também se tornou uma gigante nessa área. Prova disso se deu em 1990, onde a Itapemirim começou a explorar novo filão, como montadora, ao projetar um furgão de média capacidade (1,6 t e 12 m³) para suprir suas necessidades como operadora logística e distribuidora de cargas urbanas. 

Este desafio teve início dois anos antes, quando a empresa deu partida a um programa de testes com um Mercedes-Benz 608 com a cabine interligada ao baú, por ela adaptado para a coleta e entrega de pequenas mercadorias em centros urbanas. A capacidade e a altura da plataforma de carga do “Mercedinho” haviam sido consideradas excessivas para a utilização pretendida, o que levou a empresa a optar por um veículo de projeto próprio, de menor porte e que permitisse maior agilidade operacional.

Com carroceria de aço revestida de alumínio, o novo veículo possuía cabine integrada ao compartimento de carga e portas deslizantes dos dois lados, facilitando a freqüente entrada e saída do motorista nas operações de entrega de encomendas. Montado sobre chassi Agrale com motor MWM de 3 cilindros e 63 cv, significou mais uma tentativa de produção, no país, de um veículo de porte e capacidade intermediários. 

Chamado Clip, a produção seriada teve início em 1991, à razão de 50 unidades/ano (era objetivo da empresa substituir toda sua frota leve de carga, de 200 veículos, pelo novo produto). Em paralelo ao Clip, foi desenvolvido o Cargo Car, transformação de monoblocos Mercedes-Benz O-355 usados em grandes furgões para carga, com capacidade de 6 t e 30 m³ e cabine leito para motorista e ajudante; foram entregues, naquele ano, 60 Cargo Cars. Enquanto a produção de furgões aumentava, a de ônibus diminuía, resumindo-se, naquele ano, a menos de oito unidades mensais.

A Itapemirim chegou a preparar um protótipo de caminhão semipesado, um chassi Mercedes-Benz LP-1621 com 3o eixo e cabine integrada ao baú, projeto logo abandonado, já que a seguir a fabricação de furgões também foi suspensa, dada a grande oferta de vans e veículos leves de carga que surgiu no mercado ao longo da década.
Com informações: Lexicar

Um comentário:

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.