Header Ads

ad

Após licitação, três empresas urbanas fecharam em Fortaleza e outras podem sair

Por Fortalbus
O sistema de transporte coletivo urbano de Fortaleza passou por um processo de licitação em 2012, onde as empresas urbanas conquistaram o direito de explorar as linhas e planejar novos investimentos na frota através da segurança jurídica e financeira. Nessa ocasião 14 empresas que já operavam no sistema saíram vencedoras, são elas; Fortaleza, São José, Siará Grande, Fretcar, Santa Maria, Aliança, Maraponga, Via Urbana, Rota Expressa, Vega S/A, Santa Cecília, Terra Luz, Dragão do Mar e Cearense. 

Rapidamente, o sistema de transporte em Fortaleza começou apresentar novidades e tecnologias aos usuários dos ônibus. Foi assim com a obrigatoriedade do ar condicionado nos novos veículos, faixas e corredores exclusivos para ônibus, retorno dos ônibus articulados ao sistema, criação de novas linhas, integração plena pelo Bilhete único, Construção dos BRTs Bezerra de Menezes e Aguanambi, wi-fi a bordo, ônibus do tipo padron com cinco portas entre outras inovações.

Mesmo com todos esses investimentos criados e implementados pela Prefeitura de Fortaleza, Sindiônibus e suas associadas, o sistema começou a apresentar suas demostrações de colapso financeiro e operacional. As empresas de ônibus começaram a perceber um aumento nos custos, queda no número de passageiros transportados, reajuste tarifário da passagem abaixo das planilhas apresentadas e a dificuldade em equilibrar suas finanças e permanecer operando no sistema. 

Essas causas foram responsáveis pela falência e encerramento das operações da Rota Expressa Transportes (2014), Cearense Transportes (2015) e Terra Luz Transportes (2018), forçando as empresas operadoras dos Consórcios operar rapidamente as linhas antes atendidas por essas Empresas, sem deixar os usuários na mão. Outras empresas urbanas de Fortaleza estão operando no vermelho e tendo dificuldades em repor a frota anualmente com veículos novos, fazendo a idade média dos ônibus ficar em 5,6. 

Hoje assim como as três empresas anteriormente, a crise atinge principalmente as menores empresas, mais no contexto geral todas as operadoras do transporte coletivo em Fortaleza e no Brasil não deslumbram um futuro promissor e estão se ajustando há cada dia para se manter operando com a qualidade que o usuário merece.

4 comentários:

  1. Empresa de ônibus só quebra se for mal administrada.

    ResponderExcluir
  2. Com o tratamento oferecido pelos fiscais e superiores do sindionibus e da etufor e pelos os Onibus andares com o ar desligado e as vezes so no ventilador numa atitude desumana aonde as pessoas morrendo de calor e falta de ar deveria era fecha as portas mesmo enquanto os emenquantos tao luxando tem e que fecha ou coloca empresas de vergonha

    ResponderExcluir
  3. Isso é óbvio. Mas se aplica a qualquer empresa, não só de onibus.

    ResponderExcluir
  4. Ônibus quase sempre lotados, principalmente em horários de pico, maus profissionais, atrasos, o ar-condicionado não é utilizado em muitos deles... essas porcarias têm mais é que falir, mesmo.
    P.S.: Isso está longe de ser "o que o usuário merece.", a passagem é muito cara pelo serviço prestado.

    ResponderExcluir

O Fortalbus se reserva no direito de selecionar os comentários.