terça-feira, 31 de março de 2015

Por onde anda: Santa Maria 20272

Por Fortalbus
Na edição de hoje iremos descobrir Por onde anda o ônibus 20272, Caio Apache S21 adquirido pela Empresa Santa Maria no ano de 2002. Montados sobre o robusto chassi Mercedes-Benz OF-1721, o veículo tinha três portas largas que agilizavam o embarque e desembarque dos passageiros, este veículo era bem conservado e transportou por muito tempo os usuários de Fortaleza.  Com sua constante política de renovação da frota, a Santa Maria retirou o veículo das atividades exercidas pela empresa, hoje o mesmo prefixo na empresa é operado por um Torino. 

Após a desativação da Empresa Santa Maria, o veículo foi vendido para a Empresa Montenegro e recebeu um novo prefixo 11209. A Montenegro operou servindo os fortalezenses desde 1964, com forte identificação com os bairros da região sul, como o grande Conjunto Esperança e adjacências. Em 2012 em virtude da licitação a empresa encerrou suas atividades.

Hoje o Apache S21 continua em operação, mas na frota da TransKopé, que opera no Fretamento e Turismo. Após anos de operando no sistema integrado de Fortaleza, o veículo recebeu uma reforma na qual foram eliminadas as portas central e traseira, onde foi possível receber mais assentos e características de fretamento. 

Rápido Juazeiro e o Volvo B10M

Por Fortalbus
No comecinho da década de 1990, a Rápido Juazeiro mostrava o que tinha de melhor para equipar os ônibus pesados de sua frota, o chassi Volvo B10M. A aquisição de veículos da marca iniciou ainda década de 1980, quando trouxe um Cobrasma modelo CX-201 no ano de 1988.

O bom desempenho fez com que a Rápido Juazeiro passasse a incorporar mais ônibus Volvo durante os anos seguintes, todos eles B10M, chassi com motor central equipado com suspensão a ar concebido para variadas aplicações, aliando conforto e segurança. Em agosto de 1991, o El Buss 360 de prefixo 110.

Segmento de chassis de ônibus comemora bom momento e aposta em evolução do transporte urbano

O envelhecimento da frota de ônibus urbanos se tornou agudo em junho de 2013, quando centenas de veículos foram queimados em protestos ligados ao transporte público e ao congelamento de tarifas, além de manifestações contra a corrupção.

Apesar dos problemas, empresários de diversos municípios postergaram a compra de novos veículos, o que fez com que a retomada de vendas ocorresse apenas em 2015. O segmento de chassis de ônibus comemora o bom momento.

Os licenciamentos de veículos urbanos e rodoviários avançaram 8% em relação a 2014, de acordo com a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores). Foram negociados 1.875 chassis de ônibus em janeiro de 2015, contra 1.735 no ano passado. Já as vendas de veículos urbanos aumentaram 87,4%, um índice expressivo.

Quanto ao emplacamento, os dados também são positivos: apesar da queda de 10% no acumulado do ano passado, que registrou 15,3 mil emplacamentos, de acordo com a Fabus (Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus), de setembro a dezembro de 2014, houve alta de 7,7%, em comparação ao mesmo período de 2014.

Para Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, novas compras devem continuar ocorrendo, porém a tendência é de que um chassi articulado substitua outros três convencionais, gerando um impacto nos dados comparativos.

“Praças como São Paulo e Rio de Janeiro, que estão entre as maiores do país, devem optar cada vez mais por corredores de ônibus e BRTs. Ou seja, em menos carros para transportar mais passageiros com mais conforto e rapidez e menos emissões de poluentes”, afirma. “Estimo um volume no máximo igual ao do ano passado, o que não é negativo sob a ótica da evolução do transporte”, completa.
Com informações: AutoData

segunda-feira, 30 de março de 2015

Um passo no passado: 20 anos do Guanabara 509

Por Fortalbus
A Guanabara nasceu com a convicção de que, para ser uma empresa competitiva, não bastaria oferecer o melhor serviço. Seria preciso também investir na construção de uma imagem para transmitir à sociedade os benefícios dos seus atributos como uma empresa capaz de se diferenciar das de mais. O visual de sua pintura foi uma reformulação da tradicional usada pelo Grupo desde a década de 1970, no qual manteve as mesmas características em forma de flechas nas cores vermelho e azul. 

A primeira logomarca foi criada em 1992 e tratava-se de um símbolo simples, com duas elipses, uma na cor azul e outra vermelha, que sugeria movimento com segurança, conforto e rapidez, em todas as direções. Em seus ônibus ostentava o logotipo que trazia ainda o nome da empresa estampado em azul com os nomes “Expresso Guanabara”.

Em 1995, o veículo de prefixo 509 foi com chassi Mercedes-Benz OF-1620 utilizados pela Expresso Guanabara com motorização dianteira, característica incomum aos demais veículos da frota nos primeiros anos de atuação da Empresa na região nordeste. O veículo tinha carroceria Marcopolo modelo Viaggio GV 850, sendo incorporado à frota da Guanabara para enfrentar um trecho onde as condições ruins de tráfego exigiam esse tipo de veículo. Apesar do chassi OF-1620, usavam rodas maiores que o padrão deste chassi, deixando-os com maior altura em relação ao solo, facilitando seu acesso em qualquer terreno.

Vinte anos depois a Guanabara inicia sua renovação com Marcopolo Paradiso G7 1200 com o chassi Mercedes-Benz O-500 RSD e o veículo 509 é equipado com terceiro eixo, que proporcionam mais espaço e conforto aos passageiros em viagens de longas distancias. Diferente da versão convencional de 1995, o atual 509 é do serviço Executivo (Genesis), com poltronas reclináveis, encosto para pernas e DVD, atual padrão adotado pela empresa desde 2011.

Irizar Century na frota da Viação Nordeste

Por Fortalbus
Em 2015, a Viação Nordeste está completando 50 anos de atividades. Hoje a empresa é responsável pelas ligações entres algumas cidades nordestinas como Fortaleza, Mossoró, Natal, João Pessoa e Campina Grande. Pensando em melhorar sua participação neste mercado competitivo, a Viação Nordeste adquiriu um veículo semi-novo para diminuir assim a idade média de frota. A grande surpresa aconteceu com a aquisição do inédito Irizar Century 370 com chassi Scania K310, com prefixo 1550. Apesar de não ter sido adquirido 0km, o veículo vem marcar o esforço da empresa em melhorar e atualizar seus serviços aos seus usuários.

Fundada em 1965, na Cidade de Natal-RN, a Viação Nordeste começou operando três linhas, sendo duas intermunicipais, ligando a capital potiguar as cidades de Mossoró e Areia Branca. Sua atuação no Ceará veio expandir-se ainda no ano de 1980, quando iniciou a linha Fortaleza x Mossoró (RN), reforçando o trecho via Aracati e consequentemente aumentando sua frota e pessoal operacional. Em 1984, a Viação Nordeste começa a operar a linha Fortaleza x João Pessoa (PB), passando desde então, a fazer a ligação entre Fortaleza e mais uma capital do nordeste. 
© 2010-2014. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados