terça-feira, 23 de outubro de 2018

Os primeiros ônibus rodoviários com chassi Volvo do Ceará

Por Fortalbus
A Volvo começou sua produção no Brasil no ano de 1979, fabricando motores e chassis de ônibus B58. Iniciava assim um novo conceito de chassis para ônibus no País, com um moderno e inédito motor localizado abaixo do salão de passageiros. 

O B58 havia sido escolhido porque era o mais bem-sucedido chassi de ônibus da marca naquela época, tinha um inovador motor entre-eixos, suspensão a ar e, como opcional, uma caixa de câmbio automática. 

No Ceará, as primeiras unidades chegaram apenas em 1982, com as empresas Brasileiro Transporte e Turismo e Rápido Crateús, recebendo a carroceria Diplomata, um dos mais luxuosos daquela época. Os veículos foram comercializados pela Apavel, revendedora Volvo em Fortaleza. 

Na apresentação de lançamento do novo modelo Volvo em nosso estado, contou com a presença dos empresários José Arteiro Rosa (Rápido Crateús) e Nathan Gomes Botelho (Brasileiro Transporte e Turismo), responsáveis pelo pioneirismo na utilização dos ônibus Volvo em linhas intermunicipais no Ceará.

Durante o evento, o gerente regional da Volvo, entregou uma placa de prata a José Arteiro, primeiro empresário cearense a adquirir os ônibus Volvo. No ano seguinte, Expresso Timbira também adquire Volvo com carroceria Diplomata.

Com mais de 35 anos da chegada dos primeiros ônibus Volvo terem chegado ao mercado cearense, vários modelos de chassis ilustraram as mais variadas frotas, desde o transporte urbano, metropolitano, turismo, fretamento e rodoviário.

Até hoje o ônibus Volvo é sinônimo de luxo, sendo preferência não só pelas empresas de turismo que priorizam o conforto, mas também por aquelas que buscam algo a mais num veículo moderno e que se destaca entre os demais por sua tecnologia embarcada. 

Ônibus em Fortaleza ganham câmeras para motoristas visualizarem desembarque de passageiros

Um novo equipamento já instalado em alguns ônibus da capital promete mais segurança para os usuários do transporte coletivo. O desembarque do ônibus está entre as principais reclamações de quem utiliza o transporte coletivo.

O problema não é a pressa, mas a visibilidade comprometida do motorista, que fica a aproximadamente oito metros do desembarque.

As imagens das câmeras direcionadas à porta do desembarque são visualizadas no monitor instalado no painel do veículo. O motorista fecha a porta apenas quando o último passageiro desce. 

O dispositivo começou a ser implantado em maio, em três ônibus, de forma experimental. Dos 250 veículos de uma empresa, 50 já contam com as câmeras que garantem toda a visibilidade para o motorista durante o desembarque. 

Segundo a Etufor, a frota de ônibus na capital é de 2.132 veículos. A implantação do sistema de segurança para o desembarque deve ser realizada de forma gradativa, e os passageiros já aprovaram.
Com informações: Tribuna do Ceará

Ônibus de turismo começará a circular em Fortaleza no dia 14 de novembro

Dois ônibus farão a rota turística de Fortaleza a partir do dia 14 de novembro. O sistema de transporte no estilo hop on hop off (que permite que o passageiro suba e desça em qualquer ponto) é uma parceria entre a Prefeitura e a empresa baiana Filuca Turismo e Transporte. A passagem, que dará direito a pegar o ônibus em qualquer horário durante um dia, terá custo de R$ 65. O trajeto deve durar 1h15min por circuito.

Segundo Régis Medeiros, secretário municipal do Turismo, o objetivo do Fortaleza Bus é “conectar” a Cidade. “A partir desse ônibus, poderemos unir vários espaços e roteiros turísticos da Capital”, diz. O titular ainda explica que o esperado é que a iniciativa também impulsione o surgimento de novos espaços para turistas. 

O percurso do veículo terá 30 quilômetros e passará por praias, shoppings e praças da Cidade com 18 pontos de parada programados. Será entregue aos passageiros um guia de locais que podem ser visitados a pé. O projeto Fortaleza a pé deve mapear museus, praças e igrejas. De acordo com Régis, a rota deve partir da Praça do Ferreira. 

Os ônibus disponibilizados para a atividade têm dois andares, sendo o de cima conversível. A capacidade é de 67 pessoas. Além disso, os veículos terão sistema bilíngue, podendo aumentar o número de línguas estrangeiras dependendo da demanda. Um terceiro ônibus deve ser enviado pela empresa responsável, mas ficará como reserva caso haja problemas com os circulantes. 
Com informações: O Povo

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Neqta Transportes fazendo um diferencial no turismo e translado receptivo

Por Fortalbus
Com pouco mais de 06 anos de atuação, a Neqta Transportes soube conquistar seu espaço e ganhou visibilidade no mercado tão competitivo, como é o fretamento, turismo e translado receptivo cearense, utilizando uma frota de última geração e uma equipe de profissionais altamente qualificados, objetivando oferecer aos clientes, um serviço de qualidade, notoriamente reconhecido no mercado.

A Neqta Transportes trabalha com vigor e tenacidade para manter a melhor qualidade de seus serviços, praticando baixo custo operacional comparados as empresas legais que atuam neste segmento, visando ainda proporcionar aos contratantes um serviço qualidade e um transporte seguro e tranqüilo.

Criada em 2012, com apenas um ônibus para realizar seus fretes e suas viagens, não desanimou a Empresa nesse período. Um alto investimento na qualidade da frota de veículos foi um diferenciais que fizeram e estão fazendo a Neqta Transportes se destacar neste segmento. Atualmente a Empresa possui uma vasta frota de ônibus que realiza viagens intermunicipal, interestadual e internacional.

100 anos do Fortaleza Esporte Clube
Visando está sempre antenada com seus clientes, a Neqta Transportes homenageou o centenário do clube de futebol Fortaleza Esporte Clube, com um veículo Marcopolo Paradiso G7 1200 totalmente plotado com as cores do time, parabenizando pelos 100 anos do "Leão", que está cada vez mais próximo também de representar a garra do futebol cearense.no Campeonato Brasileiro.

Busscar e Comil estão entre as novidades da Empresa Nossa Senhora da Penha

Por Fortalbus
A Empresa de Ônibus Nossa Senhora da Penha está anunciando em suas redes sociais a chegada de novidades relacionadas à sua nova frota, com isso a Empresa reafirma mais uma vez o seu compromisso em oferecer qualidade aos seus serviços rodoviários. 

O anúncio fala sobre uma surpreendente renovação de sua frota, pela imagem usada na publicidade demostra que a Empresa está adquirindo ônibus das encarroçadoras Busscar e Comil. 

Esse é mais um exemplo, que os grandes frotistas estão buscando novas alternativas em suas aquisições, sem deixar aquém nos itens de conforto e qualidade.

Com as aquisições desses novos ônibus, demostra que mesmo após a redução de suas operações, a N. S. Penha está focada em atender com amplitude suas linhas nas regiões Sul e Sudeste, com ampliação também na oferta de horários.

domingo, 21 de outubro de 2018

Conheça as características do micro-ônibus Marcopolo Junior

Nos tempos do Mercedinho LO-608-D, líder absoluto no segmento de micro-ônibus, tanto nas versões executivas, escolares ou urbanas, o mercado era dividido pelas carroçarias Caio Carolina e Marcopolo Jr., conforme mostrado no post de hoje.

A versão ilustrada era montada sobre o chassi de 3.500 mm entre eixos, pouco usual, uma vez que a maioria dos clientes preferiam o chassi longo, de 4.100 mm. Ao longo de sua existência, o Júnior ganhou melhorias como o teto elevado e o painel de instrumentos de estilo envolvente, ambos incorporados no modelo deste post.

Ao contrário do Caio Carolina, que utilizava o chassi-curvão com a frente do caminhão 608 D, a Marcopolo preferia ter uma carroçaria com cara própria, de estilo inconfundível. Apesar de raro, o Marcopolo Jr. também vestiu outros chassis, como o pouco conhecido Fiat 80 OD, identificável por detalhes como o balanço dianteiro maior que o do Mercedinho.

Embora um tanto pesada para o limitado desempenho do motor OM-314 de 85 cv, esta carroçaria era extremamente robusta e bem construída, uma genuína Marcopolo. 
Com informações: Caminhões Antigos do Brasil

sábado, 20 de outubro de 2018

Um clássico modelo Tribus II da Viação Itapemirim S/A restaurado

Por Fortalbus
Quem acompanha a história do transporte rodoviário de passageiros, sabe que algumas empresas de ônibus tem trajetórias mais interessantes e mais peculiares entre as tradicionais empresas. Apareceu nas redes sociais um modelo de ônibus Tecnobus Tribus II de 1986, ícone da trajetória da Viação Itapemirim S/A totalmente restaurado.

O veículo Tecnobus Tribus II de prefixo 12367 foi restaurado representando apenas uma forma de reviver a pintura e os bons tempos vividos pela Empresa, por conta disso seguiu a risca a todos os detalhe da tradicional pintura da Viação Itapemirim. 

O Tecnobus apresenta um bom estado de conservação, sendo motivo de encher os olhos de qualquer viajante, profissional que trabalhou ou admirador do acervo histórico desta empresa tão pioneira e importante na época para desenvolvimento nacional.

O Itapemirim Tribus II foi lançado em 1985 com grandes modificações estéticas e mecânicas. A carroceria passou a ser própria, e não mais Nielson, embora as linhas das laterais neles se inspirassem. A dianteira, por sua vez, manteve os para-brisas, os faróis foram integrados ao para-choque e a "falsa" grade ampliada na extensão da carroceria. 

Quanto à mecânica, as mudanças mais importantes se prenderam à suspensão, que se tornou pneumática. As rodas raiadas foram substituídas por rodas de disco e o eixo de tração passou a ser o terceiro, o eixo auxiliar ainda com rodado simples, ocupando a posição intermediária.
© 2010-2016. Fortalbus Busólogos - Todos os direitos reservados